Torne-se perito

Dinamarca quer construir ilhas artificiais para expandir área industrial

O projecto, que será construído ao largo de Copenhaga, deverá estar concluído em 2040.

AS nove ilhas serão construídas ao largo de Copenhaga
Foto
As nove ilhas serão construídas ao largo de Copenhaga Manuel Roberto

O governo dinamarquês quer construir nove ilhas artificiais ao largo de Copenhaga para expandir a área industrial da capital e atrair novos negócios e investidores. O projecto foi anunciado nesta segunda-feira e, de acordo com a Reuters, deverá estar concluído em 2040.

A construção do projecto deverá começar em 2022 e o governo espera atrair cerca de 380 empresas em novas áreas de negócio e criar 12 mil postos de trabalho, acrescentando cerca de sete mil milhões de euros à economia dinamarquesa (o equivalente a 2,5% do PIB).

Uma das nove ilhas terá uma central para transformar os resíduos da capital em biogás, com capacidade para tratar águas residuais e armazenar energia eólica. Outras terão espaço para instalar empresas da área industrial.

A proposta ainda tem de ser aprovada pelo Parlamento dinamarquês, mas, durante uma conferência de imprensa, o ministro do Comércio, Rasmus Jarlov, disse que a expectativa é que o projecto seja financiado parcialmente pela venda de lotes nas ilhas.

O projecto, disse por seu turno o ministro do Interior, Simon Emil Ammitzboll-Bille, permitirá ao país reforçar a sua posição na competição internacional para atrair negócios, investimento e mão-de-obra altamente qualificada e “irá contribuir para o crescimento e o desenvolvimento não apenas da capital, mas de todo o país”.

A cidade de Copenhaga está situada em duas ilhas principais e já foi alvo de expansão por diversas vezes através da construção de ilhas artificiais. Em Outubro do ano passado, o Governo propôs criar uma nova ilha perto do porto da capital, destinada a uma nova zona habitacional.

Sugerir correcção