Uma festa para a Lua em Portugal

Há filmes, música, conferências, observações astronómicas e outros acontecimentos especiais. Aqui ficam algumas sugestões da festa que Portugal organizou para celebrar os primeiros passos na Lua.

Foto
Pegada de Buzz Aldrin na Lua na missão Apolo 11 NASA

Jardins ao luar no Palácio de Belém (Lisboa)

O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) e o Museu da Presidência da República uniram-se para celebração dos 50 anos da chegada à Lua. Os jardins do Palácio de Belém vão acolher várias actividades. O programa começa no relvado do Jardim dos Teixos, às 21h30, com a sessão especial “Ignite IAstro – Uma corrida pelo Universo em contra-relógio” que terá oito investigadores que vão ter cinco minutos (cada um) a falar sobre a investigação que se faz em Portugal em ciências do espaço.

A partir das 23h30, no Jardim do Buxo, iniciam-se as sessões de observação da Lua, com os telescópios do IA ali instalados. O público poderá obter fotografias com o telemóvel através dos telescópios. No mesmo local, a partir da meia-noite, os astrónomos estarão disponíveis para responder a questões numa conversa individual de dois minutos para cada pessoa. O programa refere ainda que o Museu da Presidência da República vai permanecer aberto na noite do dia 20 de Julho com várias actividades.

Bicicleta a voar no Pavilhão do Conhecimento (Lisboa)

Um grupo de 75 crianças, entre os dez e os 14 anos, de escolas da Grande Lisboa, vai passar a noite no Pavilhão do Conhecimento. Para quem não participa nesta acção, os visitantes podem este sábado pedalar a seis metros do chão na bicicleta voadora com vista para uma da Lua com cinco metros de diâmetro que se encontra suspensa na nave do pavilhão.

No domingo, entre as 16h e as 19h, o pavilhão faz o convite para assistir à exibição do filme “First Man on the Moon”, realizado por Damien Chazelle, numa sessão comentada por Rui Agostinho, do Observatório Astronómico de Lisboa.

PÚBLICO -
Foto
A Lua suspensa na reitoria da Universidade do Porto Cultura U. Porto, Planetário do Porto, Paulo Pereira

Ciclo de conferências no Porto

A “viagem” arranca este sábado, no salão nobre da reitoria, às 21h, com a primeira de um conjunto de sete conferências – organizadas pelo Planetário do Porto – Centro de Ciência Viva, em parceria com o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço e a Casa Comum da Universidade Porto. Na primeira “missão”Rui Moura, professor da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, vai juntar-se ao geógrafo Álvaro Domingues e a Daniel Folha, director executivo do planetário do Porto, para uma conversa sobre exploração espacial e, particularmente, a missão Apolo 11. A receber os participantes estará ainda um modelo tridimensional da Lua (com 2,8 metros de diâmetro), que será suspenso na entrada principal do edifício da reitoria. A entrada é livre.

Astrofesta em Constância – Centro Ciência Viva

A Astrofesta em Constância, organizada pelo Centro Ciência Viva, já começou a 16 de Julho, mas reservou um programa especial sobre a Lua para estes dias. O dia de sábado começa com um momento musical para ouvir o Carrilhão Lvsitanvs, o maior carrilhão itinerante do mundo, às 9h30. Durante a manhã, há ainda a apresentação da exposição Miniaturas de Módulos e Naves de Investigação Espacial (às 9h45) e um minicurso de “Introdução à Astronomia”, por Máximo Ferreira, das 10h às 13h. À tarde, pelas 15h, há a apresentação de uma outra exposição Voo, Uma Exposição que Cai Bem. Às 16h10 será possível ouvir Cédric Pereira, do Observatório da Universidade de Coimbra, na sessão “Mergulhos no oceano cósmico” e Pedro Ré a falar sobre observação e registo de imagens de eclipses, às 16h50. A partir das 18h e até ao final do dia há mais sessões: “Porque acelera o Universo”, às 21h15, com Nelson Nunes; “Viagens espaciais e a astronáutica da Apolo 11”, às 22h com Rui Agostinho; e “Um passeio pelo céu”, às 23h20, com Máximo Ferreira. Durante o dia, decorre ainda um workshop no Lago Arquimedes, observações astronómicas e várias sessões de planetário: “Missão Apolo 11”; “Lua, fases e eclipses”; “Perdidos no mar”. A festa promete durar pela noite fora, com um caldo verde a ser servido a partir das 00h01, e só depois do nascer do Sol esperado às 6h50 será, finalmente, registada uma “fotografia de grupo dos sobreviventes”.

Tertúlia em Matosinhos

O Museu da Quinta de Santiago, em Matosinhos, promove a tertúlia “Da Terra à Lua – 50 anos depois”, com Ana Pires e José Matos, às 22h, com entrada livre.

A Lua e os filmes em Braga

O Planetário – Casa de Ciência de Braga, um centro Ciência Viva, vai ao longo do dia exibir filmes de curta duração e uma exposição sobre este dia histórico. De manhã há ainda duas actividades, um teatro interactivo e a exibição de um filme sobre a missão, com “custo simbólico e lugares limitados”.