O passado nunca passa numa conversa entre António Costa e Juan Gabriel Vásquez

Humor e amabilidades numa conversa na Casa da América Latina entre o primeiro-ministro e o escritor colombiano.

Foto
Entre "portunhol" e o castelhano, falou-se da Colômbia, de memória, de literatura no encontro entre Costa e o escritor colombiano Juan Gabriel Vásquez MANUEL DE ALMEIDA/lusa

Cerca de meia centena de pessoas assistiram na quinta-feira ao final da tarde, na Casa da América Latina, em Lisboa, a uma conversa entre o primeiro-ministro português, António Costa, e o escritor colombiano Juan Gabriel Vásquez. Durante cerca de uma hora os dialogantes falaram de política e de literatura (mais desta do que daquela) e trocaram graças e amabilidades, prontamente sufragadas pelos risos sonoros e cúmplices da plateia. Se alguém ainda pudesse ter dúvidas quanto ao “optimismo crónico e ligeiramente irritante” de Costa (em tempos diagnosticado pelo actual Presidente da República), terá ficado sem elas.