Veneza multa turistas em 950 euros por prepararem café junto à ponte de Rialto

Em Maio foram introduzidas várias medidas pelo governo local de forma a controlar o impacto negativo do turismo na cidade, incluindo multas por urinar e comer em locais públicos.

Fotogaleria
Câmara Municipal de Veneza
Fotogaleria
Câmara Municipal de Veneza

Dois turistas alemães foram multados em 950 euros depois de terem sido apanhados a preparar café na ponte de Rialto, no centro histórico da cidade de Veneza, em Itália.

Os turistas, que viajavam de mochila às costas, fizeram uma paragem junto ao Grande Canal de Veneza, nas escadas da ponte de Rialto, e com a ajuda de um pequeno fogão portátil começaram a preparar o café. No entanto, um habitante local não ficou contente ao ver os turistas junto aquele monumento com mais de 400 anos e denunciou o caso à polícia.

O homem e a mulher, de 32 e 35 anos, respectivamente, naturais de Berlim, acabaram por ser multados no valor de 950 euros e obrigados a abandonar a cidade italiana.

Veneza é uma das cidades que, ao longo dos últimos anos, se tem debatido com o excesso de turistas que rumam à cidade (incentivados por voos cada vez mais baratos, proporcionados pelas companhias low-cost, e pelas plataformas de alojamento local) para observarem em primeira mão o seu estilo arquitectónico único. No entanto, são várias as pessoas que invadem o espaço público sem respeitar as normas.

Neste sentido, o governo local implementou, em Maio, uma série de medidas de forma a preservar o “decoro” e identidade da cidade, incluindo multas por urinar em público e comer em locais públicos (sem ser restaurantes ou cafés), à semelhança do que aconteceu também em Roma (onde as pessoas foram proibidas de se refrescarem nas famosas fontes da cidade).

Outro alvo de contestação dos venezianos são os cruzeiros que transportam centenas de pessoas para a cidade. No mês passado, um navio de cruzeiro chegou mesmo a perder o controlo, colidindo contra o cais e batendo num barco turístico, no canal da Giudecca, causando quatro feridos.

O episódio levou vários responsáveis a alertarem para a necessidade deste tipo de regulamentação nas cidades italianas. “Veneza deve ser respeitada e as pessoas rudes que pensam que podem chegar à cidade e fazer o que lhes apetecer devem compreender que, graças às raparigas e rapazes da polícia local, serão detidas, sancionadas e expulsas”, disse em comunicado citado pelo diário The New York Times o presidente da câmara municipal de Veneza, Luigi Brugnaro.

“A nossa cidade estará sempre aberta e disposta a acolher todos aqueles que querem vir e visitá-la. Mas, ao mesmo tempo, seremos intransigentes com aqueles que acham que podem chegar e fazer o que quiserem”, acrescentou Luigi Brugnaro.