Análise

A superioridade da democracia

Hoje, apenas temos uma certeza: a superioridade não é das culturas ou das civilizações. É dos regimes políticos.

1. O determinismo histórico, que decorre do materialismo histórico de Karl Marx, parecia estar definitivamente enterrado pela própria história do pensamento universal. Não há um fio condutor que determina o devir histórico e, já agora, não são as “massas” que fazem a História, como decorre do pensamento do velho filosofo alemão que escreveu o Manifesto Comunista. A História não tem o seu caminho predeterminado. Pode ter múltiplos caminhos. Aquele que acaba por acontecer pode depender de acontecimentos menores, que parecem inicialmente insignificantes, pode depender de um homem, seja ele um político eleito ou um rei, pode depender por vezes da revolta de muita ou pouca gente contra a ordem estabelecida, da acumulação de riqueza nas mãos de uma determinada classe ou até de uma ideia. Tudo isto são verdades geralmente reconhecidas.