O Porto prova a euforia dos loucos anos 20 nos cocktails do Golden Oldie

O novo bar do Porto leva-nos numa viagem ao passado, inspirado nos anos de 1920. Para além dos cocktails de autor, o Golden Oldie aposta nos detalhes Art Nouveau e na música da época, como o charleston, o foxtrot e o jazz.

Fotogaleria
Goncalo Dias
Enfeite de coquetel
Fotogaleria
Goncalo Dias
Fotogaleria
Goncalo Dias
Fotogaleria
Goncalo Dias
Fotogaleria
Goncalo Dias
Fotogaleria
Goncalo Dias
Fotogaleria
Goncalo Dias

Mal se cruza a porta do Golden Oldie, é possível viajar no tempo. Neste bar na Baixa do Porto, a dois passos da Torre dos Clérigos e do Jardim da Cordoaria, recua-se até aos loucos anos 20. Num espaço intimista e acolhedor, os detalhes Art Nouveau e as sonoridades do charleston, foxtrot e jazz complementam a vasta opção de cocktails de inspiração francesa.

No bar do número 46 do Campo dos Mártires da Pátria, decorado em tons dourados, com poltronas e indumentária da época – que os proprietários fazem questão de usar –, há espaço para os amigos de quatro patas. É Scarlet, uma Boiadeiro de Berna, que faz questão de receber e saudar todos aqueles que passam por este espaço, que abriu há pouco mais de dois meses e que se apresenta como Pet Friendly.

PÚBLICO -
Foto
Gonçalo Dias

Cristiano Losa e Sara Ferro, naturais de Esposende e Lisboa, respectivamente, trabalhavam na capital, mas decidiram mudar-se para o Porto e “concretizar objectivos que já estavam a ser pensados há algum tempo”. Apaixonados pelos anos 20 e por toda “a euforia” vivida então na cidade de Paris, ele relaciona-se mais com a música, ela com a decoração e com as artes. Ao PÚBLICO, os proprietários revelaram que o Golden Oldie pretende “marcar a diferença, quer no serviço, quer na cocktelaria” e atrair o cliente com uma experiência diferente. “Queremos fazer disto um cantinho para os portuenses, onde podem usufruir de um momento diferente na Baixa do Porto”, explica Cristiano Losa, sublinhando que o objectivo é criar, com regularidade, diferentes menus.

Apesar de haver uma grande variedade de bebidas, entre as quais vinhos, sangrias, cervejas e cafetaria, o foco deste novo estabelecimento são os cocktails. O menu “Anos d’Ouro”, que conta a história de um Mocho que sobrevoa a cidade do Porto à procura dos ingredientes certos, inclui sete cocktails e dois mocktails cocktails sem álcool – originais. Os ingredientes são inspirados na cozinha francesa dos anos 20, assim como os cognacs, o champagne representado pela Tsarine e o absinto La Fée. Contudo, e para valorizar a cultura portuguesa, Cristiano Losa explica que os “cocktails acabam sempre por ter um toquezinho de vinho do Porto”.

PÚBLICO -
Foto

Os proprietários destacaram alguns cocktails que consideram “especiais”, como o Legado (8€) e o Nostalgia (8€), que juntam ingredientes pouco comuns em bebidas, como o queijo roquefort (no Nostalgia) e o pólen (no Legado).

Na parte das sugestões de autor, encontram-se também o Memória, com gin, manga, licor de jasmim e espumante (9€); o Brilho, com rum, chá Gorreana, sálvia e clara de ovo (8€); o Delírio, com chá de cogumelos, tamarindo e soda (6€); e o Lucidez, com chá de erva-príncipe e ervilhas (6€).

PÚBLICO -
Foto

No atendimento, o cliente pode sempre esperar um serviço personalizado. Uma ideia que o proprietário frisa: “Gostamos de atender bem os clientes, encaminhando-os para as mesas e nunca os deixando de pé”.

Nesta viagem ao passado, o cliente pode também provar alguns petiscos, igualmente inspirados na cozinha francesa e idealizados pela chef Carla Silva. A carta inclui as madalenas de queijo roquefort (3,50€), as bruschetas com molho de tomate, beringela e pimento amarelo (6€), ou de salmão fumado com queijo creme (6€). Das propostas mais doces fazem parte as madalenas de roquefort e tomilho limão (3,50€), o folhado de camembert com doce de figo (9€) e a tarte tatin de foie-gras e cebola caramelizada (7€). Os macarons de sabores variados (1,25€) também são opção.

Questionados sobre as reacções que estão a ter por parte do público, Cristiano Losa e Sara Ferro asseguram que “têm sido bastante positivas”. “Até achamos que está a superar as expectativas”, declara a proprietária.

O novo estabelecimento no coração do Porto, aberto de terça-feira a domingo, das 18h às 02h, possui 34 lugares sentados no interior e uma esplanada com 16 lugares. Em breve, o Golden Oldie vai receber bartenders convidados, que se propõem surpreender os clientes com as suas criações. Já estão, inclusive, a ser planeadas várias acções e cocktails especiais, assim como a criação de um menu de “gastronomia em estado líquido”, no qual serão recriados vários pratos de afamados chefs, que serão convidados a trabalhar atrás do balcão por uma noite.