Amesterdão avança com a taxa turística “mais elevada” da Europa

“Os visitantes irão contribuir mais para os altos custos de manter a cidade limpa e segura, e para a manutenção do bom estado de pavimentos, cais, pontes e ruas”.

Amsterdam
Foto
Michael Kooren/Reuters

A partir de 2020, a cidade de Amesterdão irá aumentar as suas já consideráveis taxas turísticas. Actualmente, todas as pernoitas incluem a taxa obrigatória de 7% do valor do alojamento. Com o novo aumento, nos hotéis cada turista terá de somar àquela percentagem o valor de 3 euros por noite e por pessoa. Já nas estadias via AirBnb e similares, a percentagem subirá para 10%. 

A taxa, aplicada apenas a viajantes com mais de 16 anos, é também válida noutros tipos de alojamentos, mas mais baixa, caso dos parques de campismo, em que o valor é de 1 euro. Também há uma taxa para os visitantes que chegam de barco (8 euros) ou para os passageiros de autocarros e barcos turísticos (0,66 por passageiro).

Os novos valores “deverão fazer com que Amesterdão, em média, tenha a taxa turística de pernoita mais elevada da Europa”, comentou à CNN Tim Fairhurst, da European Tourist Association, que reúne empresas turísticas que operam no continente e que tem analisado as taxas aplicadas em cada destino.

Já um porta-voz da autarquia de Amesterdão comenta que “os visitantes irão contribuir mais para os altos custos de manter a cidade limpa e segura, e para a manutenção do bom estado de pavimentos, cais, pontes e ruas”

Por comparação às taxas turísticas de Amesterdão, em Portugal, nas cidades que aplicam a taxa de pernoita, esta varia entre 1 e 2 euros; Roma cobra entre 2 e 7 euros por noite e por pessoa; Paris vai até a um máximo de 5 euros; Berlim cobra 5% do valor do alojamento e Dortmund sobe aos 7%; Veneza varia entre 1 e 5 euros dependendo da época e tipologia (mas com planos para aumentar e passar a cobrar entre 3 e 10 euros a turistas que visitam mas não dormem na cidade); Barcelona cobra no máximo 2,25 euros (ou 5 euros, mas só em locais com casinos). Enquanto isso, grandes capitais como Madrid ou Londres (ainda) não aplicam a taxa turística.

Nos últimos anos, Amesterdão tem introduzido várias medidas restritivas para controlar o sobreturismo na cidade. Além de novas taxas, restringe os arrendamentos como o AirBnb, aplicou novas regras para visitas turísticas, como no caso do Red Light District, ou retirou mesmo da praça dos Museus o icónico sinal iamsterdam — paragem obrigatória para as selfies dos turistas.