Opinião

Apesar da vitória, desta vez será mais difícil

Ontem à noite, António Costa não poderia ter sido mais claro sobre as suas preferências: “Os portugueses gostaram da ‘geringonça’.” Pode parecer um paradoxo, mas a sua vida talvez seja mais difícil agora do que há quatro anos.

1. Há quatro anos, os resultados da noite das eleições abriram as portas a uma experiência inédita a nível nacional. O Partido Socialista quebrava um tabu de mais de 40 anos, que impedia uma bipolarização política equilibrada, coligando-se no Parlamento com os partidos à sua esquerda. A primeira reacção foi de cepticismo. Em Portugal e na Europa. Previa-se alguma instabilidade governativa e temia-se que o preço fosse pago à custa das contas públicas. Não foi preciso esperar muito tempo para perceber que as coisas não seriam exactamente assim. Finda a legislatura, a estabilidade política é um dos principais sucessos da “geringonça. E a credibilidade externa junto dos parceiros europeus e junto dos mercados foi conseguida graças à redução do défice até muito próximo de zero. A “geringonça” tornou-se objecto de estudo por essa Europa fora.