rui gaudêncio

O presente do passado em Trás-os-Montes

Para o seu primeiro filme, Paulo Carneiro, assistente de realização, cinéfilo, foi escavar na aldeia natal do pai a história do avô que nunca conheceu. Bostofrio, uma das mais surpreendentes estreias do cinema português recente, chega finalmente às salas – um presente para o seu pai, e também para os espectadores.

Era uma vez um avô que nunca se conheceu. “Eu ia perguntando ao meu pai quem tinha sido o meu avô, porque é que o avô não existia na nossa vida, mas o meu pai nunca quis desenvolver muito.” E essas questões que trabalhavam Paulo Carneiro acabaram por vir ao de cima num documentário: Bostofrio – où le ciel rejoint la terre. Que, rodado na aldeia transmontana de Bostofrio, de onde o pai do realizador é originário, é uma das mais salutares e surpreendentes estreias do cinema português recente.