Francisco Camacho comanda uma rebelião dançada de corpos com 50 anos

A 22 e 23 de Novembro, o coreógrafo regressa às peças colectivas com VelhAs, no Theatro Circo, em Braga. Uma forma de reclamar a presença em palco de bailarinos que tendem a ser empurrados para fora dele.

Fotogaleria
A opção de Francisco Camacho foi a de trabalhar com "performers" de 50 anos, reclamando um espaço para corpos que vão sendo encaminhados para fora do palco cláudio marques
Fotogaleria
cláudio marques

Uma santinha protectora. Um anti-histamínico para irritações na pele. Lentes de contacto. Fotografias de familiares e de gente querida. Uma tablete de chocolate, tratamento eficaz contra a paranóia. Sais de frutos. Um aparelho para medir a tensão arterial. Uma cinta. Um creme para minimizar os sinais do tempo. Todos estes objectos, e tantos outros que escapam ao reconhecimento mais imediato, estão fechados dentro de sacos levados por cada um dos bailarinos de VelhAs (é preciso imaginar este “A” rodeado de um círculo e remetendo para a ideia de anarquia), exibidos diante de uma câmara. A imagem é depois projectada num bombo disposto no palco, onde nos é permitida uma relação visual mais próxima com o conjunto dos objectos.