Torne-se perito

Sismo na Croácia interrompe quarentena do coronavírus

Abalo causou muitos danos em Zagreb e foi sentido nos países vizinhos. Governo pede à população da capital para se manter fora de casa, mas respeitando a distância social necessária para evitar o contágio do novo coronavírus.

Fotogaleria
LUSA/ANTONIO BAT
Fotogaleria
LUSA/ANTONIO BAT
Fotogaleria
LUSA/ANTONIO BAT
Fotogaleria
LUSA/ANTONIO BAT
Fotogaleria
LUSA/ANTONIO BAT
Fotogaleria
LUSA/ANTONIO BAT
,Carro da família
Fotogaleria
LUSA/ANTONIO BAT

Um sismo de magnitude estimada em 5.3 graus Richter causou vários feridos na manhã deste domingo na zona de Zagreb, a capital da Croácia. Ao contrário do que a agência Reuters tinha avançado inicialmente, não se confirma a morte de um adolescente de 15 anos, mas há informação oficial de dois menores em estado grave, atingidos por destroços.

O abalo, que terá sido o mais forte na capital croata em 140 anos, danificou seriamente inúmeros edifícios e causou diversos incêndios, levando os habitantes da zona a fugirem para as ruas, onde eram visíveis automóveis destruídos pelo colapso de paredes e telhados.

Num país igualmente a braços com a pandemia do novo coronavírus, o primeiro-ministro croata Andrej Plenkovic aconselhou os cidadãos da zona a manterem-se fora das suas casas, mas preservando a distância social necessária para evitar o contágio da doença. 

“Existem protocolos perante um sismo. Mas quando um sismo acontece combinado com uma pandemia global, é uma situação muito mais complicada”, sublinhou o ministro do Interior Davor Bozinovic, citado pela Reuters.

Na vizinha Eslovénia, onde o sismo também foi sentido com intensidade, há registo de danos ligeiros e de algum pânico. Perante alguns rumores, o Governo de Ljubljana fez questão de informar que não há quaisquer danos na única central nuclear do país.

Para além destes dois países, o abalo foi ainda sentido na Bósnia, Sérvia, Hungria, Eslováquia, Áustria e Itália.

Sugerir correcção