Serão os líderes capazes de quebrar um dos últimos tabus da União Europeia?

Na véspera do Conselho Europeu por videoconferência, António Costa, Emmanuel Macron e Leo Varadkar dizem que a pandemia de covid-19 é o momento para avançar com “medidas excepcionais” como a emissão de coronabonds. Se convencerem os seus parceiros, a arquitectura da UE mudará para sempre.

,Presidente do Conselho Europeu
Fotogaleria
Reunião do Conselho Europeu vai acontecer por videoconferência Reuters/POOL New
União Européia
Fotogaleria
António Costa e Emmanuel Macron foram dois dos signatários de uma carta para Charles Michel Reuters/REINHARD KRAUSE

Tempos extraordinários requerem “medidas extraordinárias”, por isso a União Europeia deve avançar, “sem hesitação”, com uma emissão conjunta de dívida para que os Estados-membros possam financiar a sua resposta à crise do coronavírus, defenderam os primeiros-ministros da Bélgica, França, Grécia, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Portugal, Eslovénia e Espanha, numa carta enviada ao presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, na véspera da primeira cimeira de líderes realizada por videoconferência, esta quinta-feira.