Novas linhas de crédito são mais caras do que a quase esgotada Covid-19

As quatro linhas para sectores específicos têm spreads mais baixos, mas comissões e outros custos pesam no fim. Empresas pedem mudanças na exportação e nos seguros de crédito.

Foto
LUSA/RODRIGO ANTUNES

O recurso às linhas de crédito com garantia do Estado são uma solução para muitas micro, pequenas e médias empresas nacionais, dado o forte impacto sofrido com a actual pandemia. Mas a primeira linha de crédito a ter sido lançada, a Covid-19, com 400 milhões de euros de dotação, está a esgotar-se. Já teve 817 operações de crédito aprovadas, no valor de 365 milhões de euros, anunciou esta quinta-feira o Governo. Para muitos sectores, restam as linhas de crédito específicas, mas que podem ter custos mais elevados, e deixam de fora muitas empresas.