Produção automóvel em Portugal cai 46,1% em Março

A associação do sector automóvel identifica já os primeiros efeitos da pandemia covid-19 na cadeia de produção em Portugal, com impacto nas matérias-primas, distribuição, trabalhadores e fornecedores.

Foto
Reuters/RAFAEL MARCHANTE

A produção automóvel em Portugal caiu 46,1% em Março face a igual mês de 2019, penalizada pela pandemia de covid-19, tendo sido produzidos 17.096 veículos ligeiros e pesados, informou esta terça-feira a Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

“A pandemia covid-19 conduziu a importantes rupturas nas cadeias de aprovisionamento, nos canais de distribuição, na disponibilidade de mão-de-obra e na continuidade da actividade dos fornecedores, o que se traduziu no progressivo e inevitável encerramento das unidades de produção automóvel a operar em Portugal a partir do final de Março”, refere a associação em comunicado.

Segundo a ACAP, em Março foram produzidos 13.686 veículos ligeiros de passageiros (menos 47,1% do que no mesmo mês do ano anterior), 3203 veículos comerciais ligeiros (-39,3%) e 207 veículos pesados (-61,1%).

No acumulado do primeiro trimestre, registou-se uma quebra de 18,3% da produção automóvel em Portugal, para um total de 77.204 unidades fabricadas, registando-se quebras de 20,5%, de 4,5% e de 36,4% na produção de ligeiros de passageiros, de comerciais ligeiros e de veículos pesados, respectivamente.

Do total de veículos fabricados em Portugal até Março, 98,1% tiveram como destino o mercado externo, com a Europa a absorver 97,5% das exportações.

A Alemanha (19,4%), França (16,9%), Itália (15,7%), Espanha (11,2%) e o Reino Unido (9,8%) foram os principais mercados das exportações automóveis portuguesas.

No que se refere à montagem de veículos automóveis pesados em Portugal, a ACAP diz terem sido montadas em Março um total de 35 unidades, menos 89,0% do que no mês homólogo, sendo a quebra acumulada no primeiro trimestre de 84,2%, com apenas 169 veículos montados.

Dos 35 veículos pesados montados em Março em Portugal, 30 (equivalentes a 85,7%) foram exportados.

Sugerir correcção