A acção climática dos países está muito longe do que é necessário

Mesmo quando países como Portugal cumprem as políticas públicas climáticas, isso não é suficiente para se conseguir um aumento da temperatura até 1,5 graus Celsius face aos valores pré-industriais até 2100.

Dióxido de carbono
Foto
Para este trabalho, analisaram-se três países: Portugal, Espanha e Marrocos PHILIPP GUELLAND/Reuters

Sabe-se que existe um fosso entre as políticas públicas necessárias para combater as alterações climáticas e as políticas que realmente são postas em prática. Mas que lacunas existem mesmo entre a necessidade e a prática? Esta é uma das questões de um artigo científico publicado este mês na revista Climate Change, que ilustrou esse fosso em Portugal, Espanha e Marrocos. No geral, viu-se que há bons planos a nível das políticas públicas, mas que não se faz o necessário para se concretizarem. E, mesmo quando as políticas públicas são cumpridas, são insuficientes.