Música e exposição online para assinalar Dia da Europa em Portugal

Projecto Rewind foi pensado para “transmitir uma mensagem de coesão, cooperação e resiliência face ao período difícil que o mundo atravessa”. Acontece no sábado, dia 9, no canal YouTube do Parlamento Europeu.

,Super Bock Super Rock
Foto
Batida (Pedro Coquenão) faz uma “emissão especial" com música P.L.O.P. [Países de Língua Oficial Portuguesa] DR

Os músicos Bruno Pernadas, Selma Uamusse e Batida e nove artistas visuais portugueses participam no sábado no projecto cultural Rewind, uma das iniciativas online do programa deste ano do Dia da Europa, que se assinala a 9 de Maio.

O projeto Rewind inclui, de acordo com o curador da iniciativa, João Vaz Silva, num comunicado divulgado esta terça-feira, “criações inéditas, encomendadas ou adaptadas para esta ocasião”. A iniciativa é “o resultado do trabalho de mais de 100 pessoas – artistas, técnicos e outros elementos da sociedade civil – que, embora separadas em espaços físicos distintos, conseguem criar um objecto comum através da colaboração”.

A programação começa às 14h00 (hora de Lisboa) com Leituras Livres. Na conta oficial do gabinete português do Parlamento Europeu (PE) serão partilhadas “declarações ou histórias pessoais” de “um grupo de pessoas de diferentes profissões que nunca deixaram de trabalhar no terreno – enfermeiros, comerciantes, carteiros, jornalistas, camionistas, cozinheiros, polícias, entre outros”.

Pelas 16h00, “um conjunto de cidadãos europeus procede à leitura das primeiras estrofes do Canto I d'Os Lusíadas". Trata-se de “diferentes interpretações da mesma criação, em várias línguas, numa espécie de epopeia literária sem fronteiras, que ficam alojadas num site criado para assinalar a data”.

Para as 18h00 está marcada a inauguração de uma exposição com curadoria da plataforma de intervenção artística Mistaker Maker, fundada por Lara Seixo Rodrigues. Nove artistas foram convocados para “criar uma obra de raiz, em torno da temática Rewind  resiliência, solidariedade, esperança”.

As obras serão mostradas num site a inaugurar no sábado, e a ligação vai ser disponibilizada na página oficial do PE.

A mostra, que junta trabalhos de ±maismenos± (Miguel Januário), Aheneah, Catarina Glam, Mantraste, Pantónio, Raquel Belli, Tamara Alves, The Empty Belly e Tiago Galo, estará patente até 10 de Junho. As obras, criadas pelos artistas em confinamento, “serão colocadas à venda, como forma de apoio à sua actividade artística”.

A parte musical do projecto Rewind chega à noite. Pelas 20h00 estará no ar a Rádio Normal, de Batida (Pedro Coquenão), com uma “emissão especial... normal, de uma hora com música P.L.O.P. [Países de Língua Oficial Portuguesa] e cujo principal objectivo é aproximar a Rádio fisicamente de quem a ouve e tentar ser perfeitamente Normal”.

Esta emissão, “produzida para a ocasião e ilustrada com imagens da casa e da rua de Batida, fica alojada no canal de YouTube do Parlamento Europeu e no Facebook do artista”. No programa, Batida irá estrear um novo tema: Esperança/Hope, “com sonoridade “afro-house”, que repete a mesma palavra em todas as línguas da Europa”.

Às 21h30, a cantora Selma Uamusse interpreta o tema Hope, acompanhada pelo Gospel Collective nos coros. Cada um dos cantores gravou a sua parte em casa e o resultado final será mostrado no canal de Youtube do PE.

O projecto termina pelas 22h00, também no canal de Youtube do PE, com Bruno Pernadas, que irá apresentar “uma composição inédita, juntamente com mais oito músicos (os que habitualmente o acompanham ao vivo) a partir das suas casas”.

Rewind foi pensado para “transmitir uma mensagem de coesão, cooperação e resiliência face ao período difícil que o mundo atravessa”. “Através do seu aspecto multidisciplinar e da diversidade de estilos, línguas, culturas e até origens étnicas dos artistas, Rewind realça a diversidade que caracteriza a União Europeia e que pode ser encontrada também na criação cultural e artística em Portugal”, lê-se no comunicado.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 247 mil mortos – a Europa soma mais de 143 mil mortos (mais de 1,5 milhões de casos) e infectou mais de 3,5 milhões de pessoas em 195 países e territórios.