A música ao vivo vai desconfinar lentamente, passo a passo

Apoiando a comunidade de músicos portugueses e apoiando-se nela. Reinventando-se. Procurando, pouco a pouco, ganhar a confiança do público enquanto, ao mesmo tempo, se criam novos públicos: na primeira MIL URL Talks, representantes de salas de concertos e promotores discutiram o regresso dos concertos.

paulo-brandao,zdb,lux,theatro-circo,culturaipsilon,musica,
Foto
FRANCISCO ROMão PEREIRA

Na próxima segunda-feira, 1 de Junho, assistiremos ao regresso dos espectáculos ao vivo. Não será, porém, um verdadeiro regresso. Não só as regras definidas pelo governo e pela Direcção-Geral de Saúde tornam impossível uma efectiva viabilidade financeira das salas, como, na verdade, parte daquelas que acolhiam habitualmente concertos, confrontadas com essas mesmas regras, vêm impossibilitada a reabertura de portas. O dia 1 marcará, portanto, um primeiro passo em direcção a uma nova normalidade que, por agora, ainda tem contornos pouco definidos. Esta é a ideia forte que sobressaiu da conferência que reuniu virtualmente, na tarde desta quarta-feira, promotores e representantes de salas de concertos.