Produção de automóveis caiu 50% em Maio

Portugal produziu menos de cem mil veículos nos cinco primeiros meses do ano.

,SEAT Alhambra
Foto
Miguel Manso

Depois de uma queda de 96% em Abril, a produção de automóveis em Portugal continuou em forte redução em Maio por causa da travagem económica mundial associada à pandemia de covid-19.

Nas fábricas portuguesas foram produzidos, nesse mês, apenas 15.965 veículos ligeiros e pesados, metade do volume de produção registado em Maio de 2019, revelam dados divulgados nesta segunda-feira pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

Os dados referem-se a um mês em que a Autoeuropa, em Palmela, já tinha retomado a laboração parcialmente (fê-lo ainda em Abril, com recurso ao layoff simplificado). A unidade da Volkswagen fabricou 12 mil dos perto de 16 mil veículos produzidos no país em Maio. 

A Peugeot Citroën produziu 3312 unidades; a Mitsubishi Fuso Truck Europe fabricou 551; a Toyota Caetano continuou com a produção de veículos parada; e a CaetanoBus produziu apenas nove unidades (pesados).​

Ao todo, o balanço de Maio totaliza 13.094 ligeiros de passageiros, 2620 comerciais ligeiros e 251 veículos pesados. “Em termos acumulados, nos primeiros cinco meses de 2020, registou-se um decréscimo de 39,2% em comparação com o período homólogo, correspondendo a 94.407 unidades fabricadas em 2020”, indica a ACAP num comunicado enviado às redacções.

A esmagadora maioria dos veículos produzidos no país destina-se à exportação (98%), representando cerca de um quarto das vendas de bens transaccionáveis ao exterior. De Janeiro a Maio, com menos de cem mil veículos produzidos no país, as unidades continuaram a ter o mercado europeu como o principal destino, “com a Alemanha (21,8%), França (16,4%), Itália (14,3%), Espanha (10,8%) e Reino Unido (8,6%) no topo do ranking”, refere a ACAP.

Os dados da associação mostram ainda que a montagem de automóveis em Portugal também continua a enfrentar uma descida muito grande, de 63% em Maio face ao período homólogo. Foram montados em território nacional 134 veículos pesados, tendo sido exportados 122.

No mercado interno, as vendas de automóveis registam quedas muito significativas — em Maio o mercado recuou 71%, com as vendas nesse mês a ficarem-se pelas 1579 unidades, quando um ano antes rondavam as 26 mil —, o que leva a ACAP a defender que o Governo implemente “um plano de incentivo à procura no nosso sector, como já fizeram os Governos francês, alemão e hoje mesmo o espanhol”.

Sugerir correcção