Torne-se perito

Alerta de tsunami na América Central após sismo de 7,5 no México

O terramoto, que se deu em Oaxaca, na costa do Pacífico, foi sentido até na Cidade do México, provocando a retirada de pessoas de edifícios em várias cidades do país. Há registo de seis vítimas mortais.

Milhares de pessoas no México saíram para as ruas mal começaram a sentir o abalo
Foto
Milhares de pessoas no México saíram para as ruas mal começaram a sentir o abalo LUSA/Sashenka Gutierrez

Um abalo sísmico a uma profundidade superior a 30 km abalou nesta terça-feira a zona de Oaxaca, na costa sul do Pacífico do México e atingiu 7,5 na escala de Richter. Foi desencadeado um alerta de tsunami, que se alargava a vários outros países da América Central, incluindo a Guatemala, El Salvador e Honduras, mas acabou por não ser tão grave quanto se temia. 

Houve ondas de até 40 centímetros acima do nível da maré em Salina Cruz, Oaxaca, disse o Serviço Alerta Mexicana, no Twitter, mas bem abaixo dos 113 centímetros que se chegou a prever. Na altura do sismo, o mar subiu cerca de 60 centímetros na praia de Huatulco, muito frequentada por turistas norte-americanos e canadianos, o que gerou pânico. Outros vídeos colocados online mostravam o mar a recuar.

Muitas pessoas correram para a rua quando tudo tremeu. “Nem conseguíamos andar... as ruas pareciam pastilha elástica”, contou à Reuters Miguel Candelaria, que estava a trabalhar em casa, no computador, na cidade de Juchitan, em Oaxaca, quando aconteceu o sismo. Fugiu com a família para a rua, mas o pavimento ondulava e abanava.

O governador do estado de Oaxaca afirmou, segundo a agência Lusa, que até às 20h de terça-feira (01h de quarta-feira em Lisboa) havia registo de seis vítimas mortais (uma mulher e cinco homens). O sismo terá também provocado danos em centenas de casas, quatro escolas e dezenas de monumentos históricos.

O Serviço Nacional de Sismologia mexicano afirmou que o sismo terá ocorrido às 10h29 locais (16h29 em Lisboa). As réplicas mantiveram-se constantes: duas horas depois, já tinham ocorrido mais de 400, dizem os sismólogos mexicanos.

O México situa-se na intersecção de três placas tectónicas, tornando-o extremamente vulnerável a sismos de elevada intensidade. A Cidade do México, capital do país, é uma das metrópoles mais populosas do mundo. Tem mais de oito milhões de habitantes e foi construída numa zona onde antes existia um lago — o que torna os efeitos de um sismo potencialmente mais devastadores.

Sugerir correcção