Supremo dos EUA trava lei antiaborto em nova derrota para Trump

Presidente do colectivo juntou-se aos quatro juízes liberais e voltou a decidir contra as pretensões da Casa Branca. Decisão é um golpe duro para os opositores do aborto, mas indica que uma nova nomeação de Trump pode mudar tudo.

O juiz John G. Roberts, nomeado pelo Presidente George W. Bush, foi o voto decisivo
Foto
O juiz John G. Roberts, nomeado pelo Presidente George W. Bush, foi o voto decisivo Reuters/Leah Millis

Pela terceira vez em apenas duas semanas, o Supremo Tribunal dos Estados Unidos tomou uma decisão contrária à que era defendida pela Administração Trump, numa altura em que os juízes conservadores estão em maioria. Depois de decisões favoráveis à comunidade LGBT e às centenas de milhares de imigrantes que chegaram ao país sem documentos quando eram menores de idade, o Supremo travou agora uma lei que poderia dificultar o acesso ao aborto.