catherine-deneuve,juliette-binoche,cinema,culturaipsilon,festival-veneza,festival-cannes,

O momento da verdade para Deneuve e Binoche

No seu primeiro filme em França o japonês Hirokazu Kore-eda quis uma actriz que representasse a história do cinema francês: Catherine Deneuve. Deu-lhe papel de diva e fê-la entrar em conflito com a filha, interpretada por Juliette Binoche. Conversa com as actrizes e com o realizador.

Com a sua estreia numa produção internacional o japonês Hirokazu Kore-eda quis fazer uma homenagem a Catherine Deneuve. E foi o que fez, com A Verdade, o cineasta que venceu a Palma de Ouro de Cannes 2018 com Shoplifters, ao desenhar/inventar as excentricidades de um dos grandes ícones do cinema — e a aproveitar a confusão que um espectador possa fazer entre a personagem e a actriz. “Pensei que para filmar em França precisava de uma actriz que representasse a história do cinema francês”, recorda Kore-eda, “e a única pessoa em que fui capaz de pensar foi Catherine Deneuve. As pessoas olham para ela e só se podem lembrar da sua carreira. Ao mesmo tempo a Catherine estava a divertir-se imenso. Ela adorou interpretar esta personagem intratável!”