GNR interrompe festa ilegal com 300 pessoas em Fernão Ferro

A festa tinha sido promovida nas redes sociais e o responsável do evento foi identificado. Na Área Metropolitana de Lisboa pode haver ajuntamentos até dez pessoas e a festa é uma “infracção às regras definidas pela Direcção-Geral da Saúde (DGS) para o combate à pandemia covid-19”.

,Guarda Nacional Republicana
Foto
A festa aconteceu na noite de sábado para domingo e foi interrompida pela GNR NUNO VEIGA/Lusa

A GNR interrompeu na noite de sábado uma festa privada ilegal na localidade da Quinta da Lobateira, em Fernão Ferro, que juntou cerca de 300 pessoas depois de ter sido convocada nas redes sociais. Em comunicado divulgado esta segunda-feira, a GNR refere que a festa é uma “infracção às regras definidas pela Direcção-Geral da Saúde (DGS) para o combate à pandemia covid-19”.

A operação foi feita após uma denúncia de que estaria a haver uma festa privada “numa moradia vedada, com bastante ruído e com a presença de algumas centenas de pessoas”. No local, foi identificado o responsável do evento, “que foi informado da proibição dos ajuntamentos superiores a dez pessoas [na Área Metropolitana de Lisboa, no resto do país são 20], bem como aconselhado a cumprir as normas em vigor”.

A festa aconteceu na noite de sábado para domingo e tinha sido promovida nas redes sociais. Os participantes tinham uma pulseira alusiva à festa.

Depois de serem abordadas pela polícia, “as pessoas presentes no evento acataram as indicações e terminaram a festa, ausentando-se do local, tendo sido elaborado um auto de contra-ordenação em infracção às regras definidas pela DGS”, lê-se no comunicado.

Para o local foram mobilizados alguns militares do Comando Territorial de Setúbal, através do Posto Territorial de Fernão Ferro. Também participaram militares do Destacamento Territorial de Almada, Destacamento de Intervenção e Unidade de Intervenção da GNR.

Sugerir correcção