A Liga do desconfinamento é um campeonato bem diferente

Um novo líder, Benfica e Sp. Braga fora dos lugares europeus, Vitória de Setúbal em zona de despromoção. A classificação da I Liga sofre uma revolução se contarmos apenas com os jogos realizados pós-covid 19.

O Sporting é o clube com melhor desempenho desde que a I Liga recomeçou
Foto
O Sporting é o clube com melhor desempenho desde que a I Liga recomeçou LUSA/MARIO CRUZ / POOL

É uma espécie de fotografia ao campeonato. Um retrato tirado ao período que passou desde o momento em que a prova foi retomada — após a sua interrupção devido à pandemia de covid-19 — até ao momento actual. Seis jornadas (de um total de 10). E o que se constata ao observarmos essa imagem é uma realidade quase totalmente nova.

O campeonato que (re)começou no dia 3 de Junho — e que até já motivou três mudanças de treinadores em outros tantos clubes — tem um líder novo, dois emblemas diferentes a irem às competições europeias e uma “cara nova” na zona de despromoção. A única constante face à classificação real é a presença do Desportivo das Aves no fundo da tabela.

O Sporting é, claramente, o clube que fica melhor na fotografia. A equipa orientada por Rúben Amorim é a única sem derrotas neste campeonato pós-desconfinamento. E a consequência disso é a liderança isolada da classificação, com um ponto a mais do que o FC Porto.

Já os “azuis e brancos” mantêm um nível elevado, mas a derrota em Famalicão logo no reatamento da prova, e o empate com o Desportivo das Aves custa aos “dragões” o primeiro lugar da tabela. No entanto, como Sporting e FC Porto ainda se irão defrontar nas quatro jornadas que faltam, o ponto que os separa é anulável.

O fenómeno Portimonense

Motivos para sorrir têm também Paços de Ferreira, Marítimo e, sobretudo, Portimonense neste campeonato de seis jornadas. Os pacenses dão um salto na classificação, deixando uma posição incómoda na tabela actual (13.º) para um lugar que daria acesso às competições europeias (3.º), fruto de quatro triunfos e apenas duas derrotas. Os maritimistas fazem quase igual, saltando do 12.º lugar para um tranquilo 6.º posto. Mais impressionante é o desempenho dos portimonenses que de equipa virtualmente despromovida (17.º) pulam para o 5.º lugar — uma posição de acesso à UEFA.

Terrível recomeço tiveram Benfica e Sporting de Braga. Para os “encarnados”, a retoma da I Liga significou uma mão cheia de dissabores: dois empates e duas derrotas que levaram a que desperdiçassem a hipótese de assumirem a liderança da prova.

O reflexo desta desinspiração é uma queda a pique das “águias” na classificação, que nem sequer conseguem colocar-se num lugar que lhes permitia disputar as competições europeias.

Este descalabro é apenas acompanhada pelos bracarenses. De clube a lutar pelo pódio o Sp. Braga passa a ter apenas três emblemas entre si e a linha de despromoção se forem tidas em conta apenas as últimas seis jornadas.

Igualmente mal surge o Vitória de Setúbal. Não tanto pelo tombo que dá na classificação — na verdade cai apenas um posto — mas, sobretudo, por aquilo que essa descida de um degrau representa: os sadinos passam a estar abaixo da “linha de água”.

Por fim, uma curiosidade. Coincidência ou não, os treinadores destes três clubes não resistiram à série de maus resultados e acabaram por ser despedidos nesta ponta final de campeonato.

Sugerir correcção