Mais de duas dezenas de jovens holandeses a beber nas ruas de Albufeira foram alvo de coimas

A rua dos bares na Oura, Albufeira, voltou a ser palco de festas como se não existisse uma pandemia.

covid19,albufeira,local,saude,algarve,gnr,
Foto
NFACTOS/Fernando Veludo

A GNR de Albufeira levantou mais de duas dezenas de autos de contra-ordenação a grupos de jovens holandeses pelo consumo de bebidas alcoólicas na via pública. Centenas de estudantes encheram, durante o fim-de-semana, em viagem de finalistas do ensino secundário, os bares da Oura-Albufeira e a festa foi de arromba. Os proprietários dos estabelecimentos tiveram dificuldade em fazer cumprir as regras de segurança – distanciamento social ou uso de máscara mas não foram objecto de qualquer sanção por parte das autoridades.

Desde a passada sexta-feira, a GNR tem estado especialmente atenta às movimentações dos estudantes, alojados em vários pontos da cidade de Albufeira. Os bares da Oura, como já tinha acontecido durante o Campeonato Europeu de Futebol (Euro 2004), foram o palco das festividades, com animação na rua. Não houve desacatos, como aconteceu com o futebol, mas a violação das normas de segurança da Direcção-Geral da Saúde (DGS) foi uma constante. De acordo com a legislação em vigor, são os donos dos bares que arriscam o pagamento de coimas que vão dos mil aos 5 mil euros.

A Protecção Civil Municipal e a GNR, em conjunto, têm desenvolvidos campanhas de sensibilização juntos dos estabelecimentos para que os clientes não pisem o risco. O presidente da câmara, José Carlos Rolo, disse ao PÚBLICO que a acção tem-se pautado por “uma boa compreensão e receptividade” por parte de clientes e proprietários.

Os jovens holandeses, que são às centenas, quando foram interpelados pelas autoridades “acataram, de um modo geral, as ordens”, conta o autarca. Os que desobedeceram sujeitam-se ao pagamento de uma coima que varia entre os 100 e os 500 euros. Nos próximos dias, adiantou o autarca, são esperados mais dois mil estudantes holandeses.

O ritual de andar de copo na mão, de bar em bar, na Oura, está tão enraizando nos hábitos dos consumidores que é difícil contrariar. Mas este Verão vai ter que ser diferente.

Nesta rua dos bares há estabelecimentos com lotação para 800 pessoas em circunstâncias normais. Nas actuais circunstâncias, sublinha José Carlos Rolo, “há regras, por respeito de todos, que têm mesmo de ser cumpridas” e a ocupação tem de ser reduzida para metade. Nesta fase, adiantou, a GNR está actuar mais pela via da prevenção, com reforço do patrulhamento nas ruas e presença nos bares na hora da abertura para recordar que o vírus não meteu férias

Sugerir correcção