lebron-james,desporto,nba,basquetebol,
Mike Ehrmann / Getty Images / AFP

Há 10 anos, a “Decisão” de LeBron James mudou o paradigma da NBA

James fez-se vilão supremo da NBA quando se juntou a Dwyane Wade e Chris Bosh nos Miami Heat. Atraindo o ódio da Liga, o craque deu início a uma nova era na modalidade, em que a liberdade de movimento por parte dos seus principais jogadores, cada vez mais donos do seu próprio percurso, é mais forte que a lealdade dos craques aos clubes que os escolhem no draft.

“No Outono… Isto é muito difícil… No Outono vou levar os meus talentos para South Beach e juntar-me aos Miami Heat.” Com estas palavras, a 8 de Julho de 2010, LeBron James, rodeado de câmaras da ESPN e com uma voz um tanto indecisa, punha fim a meses de especulação. Semanas antes, os “seus” Cleveland Cavaliers haviam voltado a cair nos play-off da Liga Norte-americana de Basquetebol profissional (NBA) aos pés dos Boston Celtics. O trio experiente de Kevin Garnett, Ray Allen e Paul Pierce, apoiado por uma quarta estrela cada vez mais emergente, o jovem base Rajon Rondo, voltara a afirmar-se como uma montanha demasiado alta para “King” James – que tinha no poste lituano Zydrunas Ilgauskas, no brasileiro Anderson Varejão e num Shaquille O’Neal com 38 anos os seus melhores companheiros – ultrapassar.