Afeganistão: adolescente mata talibãs depois de estes assassinarem os pais

Talibãs mataram os pais da rapariga por apoiarem o governo. Adolescente de 16 anos lutou contra os talibãs com a ajuda do irmão, de 12.

mundo,taliban,terrorismo,afeganistao,medio-oriente,
Foto
Conflito no Afeganistão fez cerca de 100 mil vítimas mortais desde 2001 WATAN YAR/EPA

Uma adolescente de 16 anos matou três talibãs e lutou contra um grupo armado, depois de ver os seus pais serem assassinados, acusados de apoiar o Governo do Afeganistão. A rapariga, Qamar Gul, vivia com os pais e o irmão, de 12 anos, que a ajudou.

As autoridades afegãs contaram que um grupo de 40 talibãs invadiu uma aldeia na região de Ghor e procurou o pai de Gul. Os talibãs conseguiram entrar na casa e mataram os pais da adolescente.

Contou o porta-voz do governador regional que Gul agarrou na arma do pai e matou três homens. Durante uma hora, Qamar Gul e o irmão, Habibullah, lutaram contra os rebeldes, até uma milícia apoiante do Governo chegar ao local e afastar os talibãs.

Imagens de Qamar Gul a segurar na metralhadora estão a varrer as redes sociais. O Governo elogiou a coragem dos irmãos e o Presidente Ashraf Ghani convidou-os para o palácio presidencial.

Qamar e Habibullah foram, entretanto, acolhidos pelas autoridades afegãs. Segundo o governo regional, o único familiar próximo dos irmãos é um meio-irmão que vive na mesma aldeia.

As autoridades apontam que os irmãos “estiveram em estado de choque durante dois dias e não falaram muito, mas estão em bom estado de saúde agora”, como disse o porta-voz do governador regional, Mohamed Aref Aber.

Segundo o The Guardian, estima-se que morreram cerca de 100 mil pessoas desde o início do conflito entre Governo e talibãs, que começou em 2001, quando os Estados Unidos invadiram o território e depuseram o regime talibã.

Sugerir correcção