Festival de dança Cumplicidades retomado em Setembro

Edição foi interrompida em Março por causa da covid-19; é reatada no Outono, com uma conferência dançada e duas novas criações, e depois entre Fevereiro e Março de 2021.

companhia-nacional-bailado,artes,teatro,culturaipsilon,danca,lisboa,
Foto
André Guedes Rui Gaudêncio

O Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa - Cumplicidades, que cancelou alguns eventos em Março por causa da covid-19, retomará a programação entre Setembro e Março de 2021, anunciou a organização.

“É importante reerguer as condições para que os artistas e demais profissionais associados à edição de 2020 do festival retomem a sua actividade, querendo e podendo fazê-lo”, afirmaram o director artístico do Cumplicidades, Francisco Camacho, e o curador desta edição, André Guedes, em comunicado.

A programação da terceira edição do Cumplicidades tinha arrancado em Março, dias antes de decretadas as medidas de contenção da pandemia da covid-19, e acabou por ficar suspensa até agora. “Este tempo veio expor mais cruamente as difíceis condições de subsistência da maioria de quem faz a dança acontecer no país. A precariedade que assola o meio artístico ficou patente no contexto desta emergência”, sublinharam os programadores do Cumplicidades.

O festival é retomado a 23 de Setembro com a conferência dançada Your teacher please, de Ana Rita Teodoro, no Largo de Residências, e com Framework, de Mário Afonso, e Kama, de Ana Renata Polónia, no espaço CAL - Primeiros Sintomas.

Haverá programação entre Setembro e Outubro, “em articulação com as entidades parceiras”, e um novo momento de eventos entre Fevereiro e Março de 2021. É para esse segundo momento que são remetidos os espectáculos dos anos 1930 Chronicle, de Martha Graham, e A Mesa Verde, de Kurt Jooss, ambos pela Companhia Nacional de Bailado, e a estreia de Mina, de Carlota Lagido.

O Cumplicidades tem, a cada edição, um programador diferente para que o festival apresente “um olhar renovado sobre o panorama criativo na área da dança”, explica o director artístico. Este ano, o programa foi desenhado por André Guedes, com as performances ligadas pela reflexão sobre o que é nacional ou internacional, por causa da “diversidade de linguagens, biografias, cronologias e distintas geografias dos artistas” convidados.

O Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa - Cumplicidades é uma iniciativa da estrutura cultural Eira, de Francisco Camacho, e conta com parcerias com, entre outros, o Teatro do Bairro, a Biblioteca de Marvila e o Museu de Lisboa.

Sugerir correcção