Violência doméstica: Governo planeia alargar prazo de acolhimento de vítimas mais vulneráveis

Acolhimento de emergência de pessoas mais vulneráveis por factores como idade, doença mental, deficiência, identidade de género poderá passar de um mês para nove, no máximo.

identidade-genero,igualdade-genero,mulheres,direitos-humanos,violencia-domestica,sociedade,
Foto
Paulo Pimenta

A proposta está pronta para ir a Conselho de Ministros: deverá passar para nove meses a duração máxima do acolhimento de emergência de vítimas de violência doméstica com especial vulnerabilidade em função da idade, da capacidade, da saúde mental, da orientação sexual, da identidade e da expressão de género.