Especialista

Acidente com Alfa Pendular: especialista aponta para “incompetência criminosa da Infra-estruturas de Portugal”

Luís Cabral da Silva diz que “não se programa a viagem de um comboio pendular por uma linha que tem lá trabalhos de manutenção. Isto não entra na cabeça de ninguém”. Descarrilamento em Soure fez dois mortos.

Acidente provocou duas vítimas mortais
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Sérgio Azenha
acidentes,sociedade,coimbra,refer,cp,transportes,
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Sérgio Azenha
acidentes,sociedade,coimbra,refer,cp,transportes,
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Sérgio Azenha
acidentes,sociedade,coimbra,refer,cp,transportes,
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Paulo Cunha/LUsa
,Vagão de trem
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Paulo Cunha/LUsa
Transporte ferroviário
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Paulo Cunha/LUsa
,Veículo motorizado
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Paulo Cunha/LUsa
,Colisão de tráfego
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Paulo Cunha/LUsa
,Veículo motorizado
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Paulo Cunha/LUsa
,Transporte ferroviário
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Paulo Cunha/LUsa
,Carro
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Paulo Cunha/LUsa
,Veículo motorizado
Fotogaleria
Acidente com Alfa Pendular em Soure Paulo Cunha/LUsa

O especialista em Transportes e Vias de Comunicação Luís Cabral da Silva considerou esta sexta-feira que o acidente com o comboio Alfa Pendular, em Soure, que matou duas pessoas, foi “criminosamente grave” e “inexplicável”.

“Não se percebe como é que um comboio Alfa Pendular vá bater numa dresina (máquina) que está a fazer a manutenção da linha onde o comboio vai passar. Isto é um exemplo da irresponsabilidade completa”, afirmou o especialista à agência Lusa.

O descarrilamento de um comboio Alfa Pendular, na Linha do Norte, após colidir com uma máquina de trabalhos da Infra-estruturas de Portugal (empresa criada em 2015, da fusão entre a Rede Ferroviária Nacional - Refer e a Estradas de Portugal), provocou esta sexta-feira dois mortos, sete feridos graves e 36 feridos ligeiros, segundo o último balanço feito pelo comandante distrital de operações de Coimbra, Carlos Luís Tavares.

No entender de Luís Cabral da Silva existem “várias questões técnicas que falharam e que motivaram este acidente. “Em rigor, o comboio não deveria lá chegar por causa do controlo de velocidade. Pelos vistos chegou e bateu. Não se programa a viagem de um comboio pendular por uma linha que tem lá trabalhos de manutenção. Isto não entra na cabeça de ninguém”, criticou.

O especialista questionou ainda o facto de o sinal da linha não estar fechado e de não ter existido “qualquer comunicação” sobre a presença da máquina no local. “Quem é que a mandou para lá? Acho que isto não se deve fazer durante o dia. Tudo isto aponta para uma grande incompetência criminosa da Infra-estruturas de Portugal”, sublinhou.

O Alfa Pendular, que transportava 212 passageiros, seguia no sentido sul-norte, tendo saído de Santa Apolónia, em Lisboa, às 14h, e tinha como destino final Braga.

O acidente ocorreu, pelas 15h30, perto da vila de Soure, mais concretamente junto à localidade de Matas, na região Centro.

Sugerir correcção