O “jogo de alto risco” de Bolsonaro no Congresso para evitar o impeachment

Há meses que o Governo brasileiro pôs o seu futuro nas mãos do “centrão”, um grupo de deputados sem ideologia apenas interessados no poder. O problema é que a base de apoio de Bolsonaro nutre um ódio visceral pelos seus novos aliados.

america-sul,corrupcao,mundo,dilma-rousseff,brasil,america,
Foto
Bolsonaro tem distribuído cargos e emendas orçamentais em benefício dos deputados do "centrão" Reuters/ADRIANO MACHADO

Pouco mais de um ano e meio depois de ter tomado posse, o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, é um homem ameaçado por todos os lados. As investigações aos filhos juntam-se ao inquérito movido contra si pela alegada interferência junto da Polícia Federal. A propagação da pandemia de covid-19 continua a não dar tréguas, ameaçando a sua popularidade junto de quem o elegeu em 2018, e valendo até queixas no Tribunal Penal Internacional. O espectro do impeachment assombra o Palácio do Planalto.