O Grande Teatro de Havana, uma das joias arquitectónicas de Havana que Eusebio Leal ajudou a restaurar
O Grande Teatro de Havana, uma das joias arquitectónicas de Havana que Eusebio Leal ajudou a restaurar Adriano Miranda

Eusebio Leal: “Havana é tudo, tem de tudo”

O historiador de Havana morreu aos 77 anos. Viverá enquanto durar a cidade que ajudou a recuperar com abnegada entrega e tenaz pragmatismo.

Andar e respirar terminam com a mesma sílaba de ar que os pulmões alérgicos de Eusebio Leal, o “cardeal” ou o historiador de Havana, usavam para se oxigenar. O homem que, de tanta obra promover, foi salvando o centro histórico da capital cubana de se esvair em ruínas condenou-se a uma vida de injecções para controlar a alergia ao pó de que sofria.