Professores

EUA: professores marcham dentro de carros contra reabertura das escolas

Bem distanciados, os professores fizeram dos carros as suas vozes e das janelas as paredes para afixar cartazes.

Caravanas de carros atravessaram várias cidades nos Estados Unidos e 35 distritos escolares Reuters/MIKE BLAKE
Fotogaleria
Caravanas de carros atravessaram várias cidades nos Estados Unidos e 35 distritos escolares Reuters/MIKE BLAKE

Esta segunda-feira, professores pelos Estados Unidos protestaram de forma diferente contra a reabertura das escolas, ordenada por Donald Trump para começar entre Agosto e Setembro. Dentro de carros, os docentes insurgiram-se contra as ordens presidenciais, buzinando e afixando cartazes nas suas viaturas.

Vários professores e políticos não concordam com a reabertura total presencial das escolas, em plena pandemia. O Presidente Donald Trump tem argumentando que as crianças não transportam com tanta facilidade o vírus, declarações contestadas tanto por cientistas como por aqueles que mais lidam com os mais novos.

Em 35 distritos escolares, professores pediram por novas medidas, como uma redução do tamanho das turmas e testagem nas escolas, assim como a presença de pessoal médico.

As buzinadelas em Milwaukee, Los Angeles, Chicago e Philadelphia também gritiaram por mais apoio para os pais, obrigados a ficar em casa com os filhos, especialmente com as suas rendas.

Mas a própria saúde dos docentes também está em causa. Andrea Parker, professora do ensino primário em Chicago, disse à Reuters pela janela do carro que não quer “colocar os meus alunos ou eu própria em risco. Não quero ser uma experiência”.

Apesar do número de mortes semanal por covid-19 nos Estados Unidos ser de 8500 mortes há quatro semanas consecutivas – no total, mais de 155 mil pessoas morreram no país – o Presidente, em campanha para as presidenciais de Novembro, insiste que as escolas são seguras.

“Os casos estão a crescer por causa da GRANDE testagem! Muito do nosso país está bem. Abram as escolas!”, disse Trump no Twitter, esta segunda-feira. Hélio Carvalho

Reuters/OCTAVIO JONES
Reuters/MIKE BLAKE
Reuters/MIKE BLAKE
Além dos professores, vários estudantes também aderiram ao protesto por não quererem ir à escola durante a pandemia
Além dos professores, vários estudantes também aderiram ao protesto por não quererem ir à escola durante a pandemia Reuters/MIKE BLAKE
Em Los Angeles, vários não aderiram ao protesto de carro mas acompanharam a caravana a pé
Em Los Angeles, vários não aderiram ao protesto de carro mas acompanharam a caravana a pé Reuters/MIKE BLAKE
O protesto também serviu para protestar contra a discriminação racial nos Estados Unidos
O protesto também serviu para protestar contra a discriminação racial nos Estados Unidos Reuters/MIKE BLAKE
Reuters/MIKE BLAKE
Sugerir correcção