Pelo menos 29 mortos em ataque do Daesh a prisão no Afeganistão

Há 300 prisioneiros a monte e uma batalha campal em Jalalabad, entre as forças de segurança e os terroristas islâmicos.

Militar em posição junto à prisão
Foto
Militar em posição junto à prisão LUSA/GHULAMULLAH HABIBI

O assalto de um grupo de cerca de 30 combatentes do Daesh a uma prisão de Jalalabad, no Leste do Afeganistão,​ tornou-se numa verdadeira batalha, com troca de tiros com as forças de segurança, e outras explosões, que começaram na noite de domingo, com a detonação de um carro-bomba à entrada do estabelecimento prisional. Há pelo menos 29 mortos e 50 feridos e evadiram-se 300 presos.

Os mortos são prisioneiros e guardas, assim como alguns civis, disse o porta-voz do governador da província de NangarharAttaullah Khogyani. Naquela prisão estavam cerca de 2000 prisioneiros, disse à Reuters o deputado Sohrab Qaderi. 

Cerca de mil prisioneiros foram recapturados, disse Qaderi. Mas 300 continuam a monte, disse mais tarde o porta-voz do governador.

O Daesh já reivindicou o ataque, que aconteceu um dia depois de a agência de espionagem afegã ter anunciado que uma equipa de forças especiais tinha morto um importante comandante do grupo perto de Jalalabad, uma cidade a 130 km de Cabul, e que fica na rota da auto-estrada que leva ao Passe de Khyber e à cidade paquistanesa de Peshawar. 

Um relatório das Nações Unidas de Julho calculava que existiriam 2200 membros do Daesh no Afeganistão e que, embora o grupo terrorista esteja a perder território e a perder lideranças, ainda é capaz de fazer ataques de grande impacto.

Sugerir correcção