De boas intenções estão os canis cheios

André Silva recusa comer gelados com a testa, mas quer enfiar na testa de todos os portugueses uma visão da relação do homem com os animais que é exclusiva dos urbanitas que contactam com galinhas sem penas nas prateleiras do supermercado. No mundo da gente que as mata e as depena é, de facto, difícil impor uma paixão por animais semelhante à do eleitorado do PAN.

André Silva respondeu ao meu artigo sobre a tragédia no abrigo de Santo Tirso (“A lei de 2016 ajudou a matar os cães de Santo Tirso”) com um texto intitulado “A culpa é da Lei do PAN e andamos todos a comer gelados com a testa”, onde argumenta que: 1) o facto de canis e gatis estarem neste momento a transbordar devido à proibição de abate de animais; 2) assim se promover a proliferação de abrigos ilegais; 3) as matilhas de cães errantes crescerem pelo país; 4) não haver forma matematicamente inteligível de enfrentar o abandono de 20 mil animais por ano; tudo isso é, segundo o líder do PAN, culpa do laxismo das câmaras municipais e da Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), pois a lei n.º 27/2016 que emanou da Assembleia da República é impecável.