Stelios Misinas/Reuters
Foto
Stelios Misinas/Reuters

Concurso tem 500 mil euros para melhor projecto a detectar plástico no mar

Concurso procura a melhor proposta que combine dados de satélite e inteligência artificial para detectar, caracterizar e quantificar o plástico nos oceanos. Decorre até 4 de Outubro e o prémio pode ir até 500 mil euros.

Um concurso internacional, dirigido a empresas e cientistas, vai premiar com um máximo de 500 mil euros um projecto inovador para a detecção de plásticos nos oceanos, divulgou esta terça-feira a agência espacial portuguesa Portugal Space. Lançado em Julho, o concurso AI Moonshot Challenge decorre até 4 de Outubro, anunciou a Portugal Space, uma das entidades promotoras.

A melhor proposta a concurso, que combine dados de satélite e inteligência artificial para detectar, caracterizar e quantificar os plásticos nos oceanos, mas também rios ou lagos, será conhecida no evento tecnológico Web Summit, agendado para entre 2 e 4 de Dezembro, em Lisboa. 

Ao concurso podem concorrer universidades, laboratórios científicos, organizações privadas ou públicas sem fins lucrativos que se dediquem à investigação científica e empresas. Apesar de o AI Moonshot Challenge se dirigir a entidades nacionais ou estrangeiras, o concurso destina-se a financiar um projecto de investigação que seja realizado a partir de Portugal ao longo de dois anos.

Os plásticos são uma das fontes de poluição dos oceanos com impacto nos recursos marinhos. “Podem ter origens muito distintas, podem vir de terra ou ser largados directamente nos oceanos por barcos de pesca ou navios de transporte e variam na sua forma, composição e tamanho”, refere a bióloga marinha Carolina Sá, responsável pelo departamento das Relações Industriais e Projectos de Observação da Terra da Portugal Space, citada em comunicado pela agência espacial.

A Portugal Space tem como parceiros do AI Moonshot Challenge, que este ano realiza a sua primeira edição, a empresa Unbabel Labs, a Fundação para a Ciência e Tecnologia, a Agência Espacial Europeia (ESA) e a Agência Nacional de Inovação (ANI).

Sugerir correcção