PIB sueco cai 8,2% no segundo trimestre

A Suécia foi dos países mais brandos a combater a pandemia de covid-19, não tendo parado por completo a sua economia. Ainda assim, sofreu a pior contracção económica desde que há registo.

coronavirus,pib,conjuntura,economia,suecia,europa,
Foto
Reuters/TT NEWS AGENCY

O Produto Interno Brito (PIB) sueco contraiu 8,2% no segundo trimestre de 2020 face ao mesmo período em 2019 e 8,6% em comparação com o primeiro trimestre do ano, segundo uma primeira estimativa do Instituto Nacional de Estatística da Suécia, avança a Bloomberg. As previsões dos economistas apontavam para uma queda homóloga de 7,4%. Os dados provisórios representam o pior desempenho económico trimestral desde que há registos.

Ao contrário dos outros países nórdicos, a Suécia não impôs um bloqueio total na economia e na vida dos cidadãos, tendo apenas dado indicações gerais sobre o confinamento parcial da sociedade. Esta estratégia resultou numa das taxas de mortalidade mais elevadas da Escandinávia. No entanto, a Bloomberg aponta que as novas informações indicam que, apesar da estratégia suave, o país poderá não ter conseguido manter o nível de consumo por parte dos cidadãos.

“A forte contracção da economia sueca no segundo trimestre confirma que esta não tem ficado imune à covid”, disse David Oxley, economista da Capital Economics, admitindo que, ainda assim, está num nível diferente dos restantes países europeus. A quebra sentida no segundo trimestre na zona euro foi de 15%.

O governo sueco garante que a abordagem nunca foi sobre benefícios económicos mas sim sobre a adopção de políticas sustentáveis. O epidemiologista Anders Tegnell, responsável pela gestão da pandemia de covid-19 na Suécia, já admitiu mesmo que o país deveria ter imposto medidas de confinamento mais severas para travar o número de mortes.

De acordo com a Bloomberg, a queda das importações explicou o aumento o desemprego, apesar de um pacote de ajuda dirigido para este área por parte do governo sueco.

Segundo o economista Nordea Torbjorn Isaksson, “é demasiado cedo para avaliar como as diferentes estratégias para lidar com a covid-19 têm afectado as economias”. Ainda assim, caracterizou como “razoável” a previsão de uma queda anual de 4,5% do Banco Central da Suécia.

As estatísticas com o número final da variação do PIB no segundo trimestre estão previstas para 28 de Agosto.

Sugerir correcção