Teletrabalho: um privilégio dos que estão melhor e que permitiu trabalhar menos

Dados do INE expõem diferenças vincadas: os precários ou com formação mais baixa ficaram menos em casa e quem trabalhou na empresa teve jornadas mais longas.

trabalho-emprego,saude,economia,desemprego,emprego,doencas,
Foto
Rui Gaudêncio

Quase um quarto da população empregada em Portugal esteve em teletrabalho durante o segundo trimestre de 2020. Se fosse possível fazer um retrato robô, baseado na distribuição maioritária por género, origem geográfica, idade, escolaridade e tipo de contrato de trabalho e de funções que exercem, obteríamos a imagem de uma mulher, com 35 anos ou mais e formação superior, que reside na Área Metropolitana de Lisboa e provavelmente trabalha como efectiva numa empresa ou entidade pública do sector dos serviços.