Samsung mantém aposta em ecrãs dobráveis e no 5G e lança três topos de gama para “abraçar o novo normal”

A fabricante de telemóveis sul-coreana apresentou três novos telemóveis topo de gama: o Galaxy Note 20, o Galaxy Note 20 Ultra, e o Galaxy Z Fold 2. Preços começam nos 989,90 euros.

huawei,telemoveis,inovacao,tecnologia,samsung,apple,
Foto
A marca continua a apostar na velocidade do 5G Samsung

Mantendo a agenda, a sul-coreana Samsung anunciou três novos telemóveis topo de gama esta quarta-feira: o Galaxy Note 20 e o Galaxy Note 20 Ultra (já disponíveis para pré-venda em Portugal), bem como o Galaxy Z Fold 2 que é o mais recente telemóvel da marca com um ecrã que se dobra. Todos têm versões 5G disponíveis, com os preços a começar nos 989,90 euros para a versão 4G do Galaxy Note 20. Para acompanhar, a marca também apresentou os novos auriculares Galaxy Buds Live, duas tablets (a Galaxy Tab 7 e a Tab 7+), e o mais recente relógio inteligente, o Galaxy Watch3, que permite monitorizar os níveis de oxigénio no sangue. 

“Temos de aceitar o novo normal”, começou por sublinhar TM Roh, que desde Janeiro lidera a secção de comunicação móvel da Samsung, numa apresentação virtual dos novos aparelhos em que reconhece as dificuldades dos últimos meses.

“A tecnologia pode ajudar a lidar com a adversidade. E os aparelhos que lançámos hoje foram criados para isso”, continuou TM Roh, lembrando que com o lockdown e o isolamento social as pessoas começaram a precisar de aparelhos mais poderosos para estudar e trabalhar de casa. “Só embatemos contra um obstáculo na estrada quando estamos a avançar”, notou.

PÚBLICO -
Foto
A Samsung quer dar ferramentas para "o novo normal"

Como é habitual, os novos telemóveis da gama Galaxy Note destacam-se pela qualidade das câmaras, pela rapidez de actualização do ecrã, e por uma caneta stylus, a S Pen, com mais funcionalidades que permitem controlar o telemóvel à distância sem tocar no ecrã (por exemplo, para voltar ao menu inicial basta fazer um movimento continuo para cima e para baixo com a caneta). Aqui, o destaque vai para o Galaxy Note 20 Ultra (a partir dos 1339.90 euros), com 6,9 polegadas e uma lente grande angular de 108 megapíxeis entre as várias câmaras do telemóvel. O ecrã tem 120Hz, o que na prática quer dizer que actualiza 120 vezes por segundo e, por isso, é capaz de apresentar conteúdo como videojogos de forma mais dinâmica.

PÚBLICO -
Foto
Samsung Galaxy Note 20 Ultra Samsung

Entre as novas funcionalidades, os telemóveis Note incluem ainda uma ferramenta para gravar áudio enquanto se fazem anotações no ecrã. Ao reler as notas, pode-se clicar sobre uma parte específica para voltar a ouvir o áudio associado.

Já o Galaxy Z Fold 2 promete uma “aperfeiçoada experiência ao nível dos dispositivos dobráveis”, mas a diferença mais óbvia é o tamanho. Com um ecrã desdobrado de 7,6 polegadas e outro dobrado de 6,2 polegadas, o aparelho ganha ao precedente cujo ecrã mais pequeno apenas tinha 4,6 polegadas (pouco comum nos topos de gama actuais).

PÚBLICO -
Foto
Galaxy Z Fold 2 Samsung

“Atrasar o lançamento não fazia sentido"

“Atrasar o lançamento não fazia sentido porque os telemóveis já estavam prontos”, explica Tina Lu, analista de mercado na Counterpoint Research, ao PÚBLICO. “É importante que as vendas do Note corram bem porque os mais recentes topo de gama da Samsung, os Galaxy S20, foram lançados pouco antes de os países começarem a entrar em lockdown”, recorda Lu. “Com o mercado a voltar ao novo normal é importante manter as datas de lançamento, até porque os telemóveis já estão prontos e as rivais Apple e Huawei estão a manter o lançamento dos telemóveis.”

A oferta da Samsung mostra que a empresa mantém o foco em telemóveis dobráveis e na tecnologia 5G. Num mercado a ficar saturado, 2020 prometia ser um ano forte para a indústria dos telemóveis com a rapidez do 5G e os novos ecrãs dobráveis a atrair novos consumidores, mas a pandemia de covid-19 limitou o número de telemóveis que as empresas podem produzir e vender e o número de aparelhos que as pessoas podem comprar.

 “A aposta do 5G pode funcionar muito bem para a Samsung, porque ainda não há uma grande oferta na área, especialmente nos EUA”, confirma Tina Lu da CounterPoint, que diz que as vendas da empresa devem melhorar até ao final de 2020.

Em 2020, pela primeira vez em quase dez anos, o primeiro lugar no pódio de smartphones mais vendidos não foi para a Samsung, nem para a Apple, mas sim para a Huawei. Segundo dados da Canalys e da CounterPoint Research, foi a fabricante chinesa que vendeu mais telemóveis no segundo trimestre de 2020.

“Os valores foram empurrados pela saída da China do desconfinamento a meados de Março”, defende Tina Lu. “Agora, que há mais mercados a regressar a um ‘novo normal’ as vendas da Samsung devem recuperar.”

Em Portugal, uma das estratégias é incluir os novos Galaxy Note em pacotes de acessórios (os chamados “bundles") que incluem um par dos auriculares, ou um comando e uma subscrição de três meses para a xBox Game Pass, que permite aceder a um portfólio com mais de 100 jogos.

As pré-vendas dos novo Galaxy Note abrem esta quarta-feira, com os telemóveis a chegar oficialmente às lojas portuguesas no dia 21 de Agosto. Os preços começam nos 989,90 euros para o Galaxy Note 20 e chegam aos 1439,90 euros para o Note 20 Ultra 5G com mais memória. O Galazy Z Fold 2 apenas estará disponível para pré-venda a partir do dia 1 de Setembro, altura em que serão revelados mais detalhes sobre o novo dobrável da Samsung. 

Actualizado para acrescentar preços.
Sugerir correcção