Fotogaleria
Miguel Manso
Fotogaleria
Novas regras têm como objectivo proteger os animais Reuters/GUGLIELMO MANGIAPANE

Passear o cão pelo menos duas vezes por dia pode vir a ser obrigatório na Alemanha

O cão deve estar na rua pelo menos uma hora por dia e será proibido manter o animal acorrentado. O dono do animal também não poderá deixar o cão sozinho em casa o dia todo.

Levar o cão a passear duas vezes por dia – num total de uma hora – pode passar a fazer parte da lei na Alemanha. Manter o animal acorrentado por longos períodos de tempo pode também ser proibido no país. 

A ministra da Agricultura do país, Julia Klöckner, disse que as novas regras têm como objectivo promover a actividade física dos cerca de 9,4 milhões de cães que existem no país. “Os animais não são brinquedos, as suas necessidades devem ser levadas em consideração”, justificou a ministra, citada pela BBC.

De acordo com a nova regulamentação, os donos devem levar os cães a passear pelo menos uma hora por dia. Julia Klöckner explicou que a regulamentação foi desenvolvida depois de estudos demonstrarem o beneficio do contacto com a natureza para os animais. Além da obrigatoriedade de passear com o cão na rua, passa também a ser proibido manter o cão acorrentado.

Segundo escreve o jornal The Guardian, os cães não podem ser deixados em casa o dia todo e o dono deverá estar com o animal “várias vezes ao dia”. Além dos donos, as novas regras que, a serem aprovadas, podem vir a ser implementadas no próximo ano, prevêem que os criadores possam ter no máximo três ninhadas em simultâneo e que cada cria passe pelo menos quatro horas por dia com um humano de forma a garantir o processo de socialização.

Também está previsto a proibição da exibição de cães que tenham as orelhas ou a cauda cortadas. Os animais cujo comportamento não seja “apropriado para a espécie” deverão ser banidos das feiras e exposições caninas.

Uma porta-voz do ministério da Agricultura confirmou que as autoridades de cada um dos 16 estados alemães serão responsáveis por fazer cumprir as regras. Pouco depois do anúncio proposta surgiram as primeiras críticas, mesmo por parte de elementos do partido da ministra, a União Democrata Cristã.

A deputada Saskia Ludwig, através do Twitter, contestou o conjunto de medidas: “Não vou levar o meu leão-da-rodésia para dois passeios com 32ºC. Em vez disso, vamos saltar para o rio para um mergulho refrescante”. 

Sugerir correcção