p2-verao-2020,d-joao-vi,constituicao,historia,culturaipsilon,porto,
Fotogaleria
D. Miguel e a Vilafrancada, gravura da colecção da Biblioteca Nacional
p2-verao-2020,d-joao-vi,constituicao,historia,culturaipsilon,porto,
Fotogaleria
Portugal à beira do abismo, quadro de Domingos Sequeira (1820). O optimismo vintista durou escassos três anos
Ensaio

A regência e o golpe miguelista que acabou na guerra civil

Após o exílio forçado na sequência da tentativa de golpe para derrubar a ordem constitucional, D. Miguel regressa de Viena para assumir a regência do país até à maioridade de Maria da Glória. Em 1828 assume o poder, suspende a Carta Constitucional e arrasta o país para uma guerra civil que acabaria em 1834.

A 22 de fevereiro de 1828, o infante D. Miguel, filho segundo de D. João VI e de D. Carlota Joaquina, desembarcou em Lisboa vindo do seu exílio dourado em Viena de Áustria.