Fotogaleria

Edifícios destruídos, árvores arrancadas, mortes: o rasto de destruição do furacão Laura nos EUA

Lake Charles, Luisiana Reuters/ELIJAH NOUVELAGE
Fotogaleria
Lake Charles, Luisiana Reuters/ELIJAH NOUVELAGE

O furacão Laura perdeu intensidade ao chegar a terra e passou a tempestade tropical, mas continua a ser considerado perigoso. Um dos cinco piores furacões de sempre a atingir os Estados Unidos, o Laura chegou a atingir ventos de 240 quilómetros por hora e deixou um rasto de destruição – visível nas fotografias tiradas nos estados norte-americanos mais afectados.

Pelo menos seis pessoas morreram nos EUA na sequência do furacão, de acordo com um novo balanço avançado pela agência de notícias Associated Press (AP). O Departamento de Saúde da Luisiana atribuiu quatro das mortes à queda de árvores. As vítimas mortais incluíam uma adolescente de 14 anos e um homem de 68 que morreram devido à queda de árvores nas suas casas, bem como um homem de 24 anos que morreu de envenenamento por monóxido de carbono causado por um gerador, na sua residência. Outro homem morreu quando o barco em que seguia se afundou, durante a tempestade, informaram as autoridades. Há ainda registo de 21 mortes no Haiti e quatro na República Dominicana. 

Às 4h em Portugal continental, o epicentro do Laura estava localizado a 50 quilómetros a nordeste de Little Rock, no estado do Arkansas, soprando com ventos máximos de 55 quilómetros por hora e movendo-se em direcção ao nordeste, a 24 km por hora, de acordo com o Centro Nacional de Furacões norte-americano, citado pela agência de notícias espanhola Efe.

Apesar do seu enfraquecimento nas últimas 24 horas, o Centro Nacional de Furacões alertou que a ameaça de inundações continua, também com avisos de tornados. Segundo a AP, um tornado arrancou esta madrugada parte do telhado de uma igreja rural no nordeste do Arkansas, não provocando feridos.

As previsões apontam para que a tempestade tropical continue na sua trajectória atual nas próximas horas. Deverá passar esta segunda-feira pelo vale central do Mississippi e chegar aos estados do meio Atlântico no sábado, para depois partir para o Oceano Atlântico no domingo. Segundo a AP, perto de 900 mil pessoas ficaram sem energia nos estados do Louisiana e do Texas. com Lusa

Sulphur, Luisiana
Sulphur, Luisiana Reuters/ADREES LATIF
Lake Charles, Luisiana
Lake Charles, Luisiana Reuters/ELIJAH NOUVELAGE
Aviões destruídos após a passagem da tempestade em Sulphur, Luisiana
Aviões destruídos após a passagem da tempestade em Sulphur, Luisiana Reuters/ADREES LATIF
Homens retidos na estrada por causa dos estragos causados pela tempestade
Homens retidos na estrada por causa dos estragos causados pela tempestade EPA/DAN ANDERSON
Uma estrada inundada após a passagem do furacão <i>Laura</i> em Lake Charles, Luisiana
Uma estrada inundada após a passagem do furacão Laura em Lake Charles, Luisiana Reuters/ELIJAH NOUVELAGE
Fumo numa fábrica de produtos químicos após a passagem do furacão <i>Laura</i> em Lake Charles, Luisiana
Fumo numa fábrica de produtos químicos após a passagem do furacão Laura em Lake Charles, Luisiana EPA/DAN ANDERSON
Lake Charles, Luisiana
Lake Charles, Luisiana EPA/DAN ANDERSON
Lake Charles, Luisiana
Lake Charles, Luisiana Reuters/SHANNON STAPLETON
Lake Charles, Luisiana
Lake Charles, Luisiana Reuters/SHANNON STAPLETON
Lake Charles, Luisiana
Lake Charles, Luisiana Reuters/SHANNON STAPLETON
Pessoas que foram retiradas das suas casas por estarem na rota da tempestade na chegada a um hotel em Nova Orleães, Luisiana
Pessoas que foram retiradas das suas casas por estarem na rota da tempestade na chegada a um hotel em Nova Orleães, Luisiana Reuters/KATHLEEN FLYNN
Uma bandeira dos Estados Unidos danificada pela passagem da tempestade num cemitério em Eunice, Luisiana
Uma bandeira dos Estados Unidos danificada pela passagem da tempestade num cemitério em Eunice, Luisiana Reuters/SHANNON STAPLETON
Mamou, Luisiana
Mamou, Luisiana Reuters/SHANNON STAPLETON
Lake Charles, Luisiana
Lake Charles, Luisiana EPA/DAN ANDERSON
Janelas danificadas pelo vento da tempestade em Lake Charles, Luisiana
Janelas danificadas pelo vento da tempestade em Lake Charles, Luisiana EPA/DAN ANDERSON
Lake Charles, Luisiana
Lake Charles, Luisiana EPA/DAN ANDERSON
Destruição perto de Hackberry, Luisiana
Destruição perto de Hackberry, Luisiana Reuters/ADREES LATIF
Lake Charles, Luisiana
Lake Charles, Luisiana Reuters/ELIJAH NOUVELAGE
Lake Charles, Luisiana
Lake Charles, Luisiana Reuters/ELIJAH NOUVELAGE
Lafayette, Luisiana
Lafayette, Luisiana Reuters/ELIJAH NOUVELAGE
Lafayette, Luisiana
Lafayette, Luisiana EPA/DAN ANDERSON
Vinton, Luisiana
Vinton, Luisiana Reuters/ADREES LATIF
Lake Charles, Luisiana
Lake Charles, Luisiana Reuters/ELIJAH NOUVELAGE
Sulphur, Luisiana
Sulphur, Luisiana Reuters/ADREES LATIF
O casal Lonnie Gatte e Teri Goleman no regresso à sua residência (uma caravana de 12 metros), que ficou totalmente destruída com a passagem da tempestade em Sulphur, Luisiana
O casal Lonnie Gatte e Teri Goleman no regresso à sua residência (uma caravana de 12 metros), que ficou totalmente destruída com a passagem da tempestade em Sulphur, Luisiana Reuters/ADREES LATIF
Eunice, Luisiana
Eunice, Luisiana Reuters/SHANNON STAPLETON
Rickey Guillory, de 40 anos, e a sua casa destruída ao fundo em Kinder, Luisiana
Rickey Guillory, de 40 anos, e a sua casa destruída ao fundo em Kinder, Luisiana Reuters/SHANNON STAPLETON
Sugerir correcção