edward-snowden,lingua-portuguesa,entrevista,culturaipsilon,livros,medio-oriente,
Geraldine Aresteanu

Dov Alfon: o jogo de espelhos da espionagem, desta vez em versão electrónica

Um antigo espião escreve um livro de espionagem, um livro tão israelita como poucos, mas que conseguiu também um grande sucesso global. Dov Alfon explica o que quis conseguir com O Espião Israelita, cuja ideia veio de um teste do polígrafo feito na sua antiga unidade de espionagem electrónica.

É mais provável que o espião de hoje aceda a informação através de um computador, a milhares de quilómetros do alvo, do que esteja de câmara na mão a gravar em microfilme planos secretos numa sala onde teve de entrar sorrateiramente. O espião de hoje já não troca envelopes em pontes enevoadas, passa horas a procurar nomes num écrã.