Quezaltepeque: a prisão de segurança máxima em El Salvador onde o distanciamento é impossível

O número de homicídios violentos em El Salvador caiu 50% em apenas um ano, uma das vitórias que o Governo de Nayib Bukele reclama para si — e que está a ser questionado por uma investigação jornalística que atribui o sucesso da medida a um pacto com o gangue Mara Salvatrucha e Barrio 18.

Reuters/JOSE CABEZAS
Fotogaleria
Reuters/JOSE CABEZAS

As regras sanitárias são claras: para prevenir a infecção por covid-19 é necessário manter a etiqueta respiratória, usar máscara e manter o distanciamento social. Nenhuma destas regras funciona sem se cumprir as outras, mas o que fazer quando o espaço disponível não permite o distanciamento?

É o que acontece na prisão de Quezaltepeque, onde estão presos os membros do gangue Barrio 18 de El Salvador. Nesta prisão de segurança máxima, apesar da presença de máscaras, o distanciamento é impossível.

O número de homicídios violentos em El Salvador caiu 50% em apenas um ano, uma das vitórias que o Governo de Nayib Bukele reclama para si — e que está a ser questionado por uma investigação jornalística que atribui o sucesso da medida a um pacto com o gangue Mara Salvatrucha e Barrio 18.

EPA/Rodrigo Sura
EPA/Rodrigo Sura
EPA/Rodrigo Sura
EPA/Rodrigo Sura
EPA/Rodrigo Sura
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Reuters/JOSE CABEZAS
Sugerir correcção