CP investiga queixa de assédio contra revisor

Empresa abriu investigação interna para apurar incidente. Mulher queixa-se de que trabalhador terá feito comentários impróprios aquando da cobrança de bilhete.

sociedade,lisboa,sindicatos,greve,cp,transportes,
Foto
Adriano Miranda / PUBLICO

A CP comunicou, nesta terça-feira, que abriu uma investigação interna para apurar uma queixa de assédio feita contra um dos seus revisores. Uma passageira acusa o trabalhador de, durante uma viagem num comboio regional, com destino a Tomar, ter feito comentários impróprios sobre a roupa que vestia e o decote do vestido. O revisor terá ainda feito piadas jocosas sobre os seios da passageira, queixa-se a mulher, que formalizou a queixa junto das autoridades. 

“Comprovada a existência de uma conduta inadequada do operador de revisão e venda, a empresa determinou a instauração de processo disciplinar ao referido trabalhador”, diz a CP em comunicado.

A mulher de 28 anos fez um vídeo após o incidente que ocorreu na sexta-feira, confrontando o revisor com os cometários “preconceituosos” e “machistas” que ocorreram durante a cobrança de bilhete. Pelo que é possível apurar durante o vídeo, o trabalhador da CP acusa a mulher de “andar a provocar os homens”, acrescentando ainda que existem “normas” para frequentar os transportes. Na descrição do vídeo, a mulher explicou o contexto que originou a troca de palavras. 

“Isto aconteceu hoje [sexta-feira], na viagem que fazia do Carrascal para Tomar. Ia vestida com um vestido verde. Quando fui abordada pelo revisor, que no final de me cobrar o bilhete (que demorou bastante porque estava mais interessado em olhar para o meu peito do que para a máquina) disse o seguinte: ‘Ainda bem que não está frio ou as mamocas constipavam-se.’ Isto dito por um homem na sua hora e local de trabalho! Isto não é um comportamento normal em nenhum lado muito menos num sítio onde sou cliente”, escreveu a passageira.

De acordo com o Jornal de Notícias, o revisor é pastor numa igreja, tendo-se recusado a comentar o incidente. 

Sugerir correcção