Um filme para não chegarmos aqui: ou como Nuevo Orden pode chegar ali

A entrada na competição de Michel Franco pode bem continuar a bem-sucedida narrativa dos cineastas mexicanos no Festival de Veneza.

alejandro-gonzalez-inarritu,alfonso-cuaron,cinema,culturaipsilon,festival-veneza,mexico,
Foto
Nuevo Orden introduziu a distopia e o protesto social na competição DR

Os cineastas mexicanos têm uma história particular com o Festival de Veneza – o grupo constituído por Alfonso Cuarón, Alejandro González Iñárritu e Guillermo del Toro , onde têm sido premiados ou de onde têm partido para conquistas globais, isto é, os Óscares. Às vezes têm sido as duas coisas juntas. Michel Franco não pertence a essa história (embora tenha sido o produtor de À Distância, de Lorenzo Vigas, um surpreendente Leão de Ouro em 2015), não pertence àquela geração, mas, sendo mais cerebral e mais frio, Nuevo Orden, que integra a competição deste ano, pode bem continuar uma narrativa.