Clara Sousa e Silva, a “doutora fosfina”

A astrofísica molecular portuguesa de 33 anos assina um artigo científico em que se anuncia a detecção em Vénus de fosfina, um possível marcador de vida nesse planeta.

sistema-solar,planetas,investigacao-cientifica,espaco,astrofisica,astronomia,
Foto
Clara Sousa e Silva é especialista na molécula fosfina Melanie Gonick

Quando Clara Sousa e Silva estava a fazer o seu doutoramento na University College de Londres, cada um dos estudantes do seu grupo estava encarregue de uma molécula, a sua era a fosfina. Às vezes, em conferências, as pessoas perguntavam-lhe: “Tu és a senhora fosfina?” E ela respondia com determinação: “Sim, sou, mas daqui a uns anos vou ser a doutora fosfina!” E assim foi – a astrofísica terminou o doutoramento sobre essa molécula e hoje é especialista nela. Agora, é uma das autoras de um artigo científico que anuncia a detecção de fosfina em Vénus, um possível marcador de vida nesse planeta.