Fósseis do fundo do mar contam a história do clima nos últimos 66 milhões de anos

Um novo estudo internacional identificou, a partir de registos de sedimentos marinhos, quatro estados climáticos distintos nos últimos 66 milhões de anos. Investigadores alertam que se as emissões actuais de CO2 não baixarem até 2100, a temperatura média do planeta poderá aumentar entre os cinco e os 10 graus Celsius.

aquecimento-global,ciencia,ambiente,clima,alteracoes-climaticas,investigacao-cientifica,
Foto
Visão noturna do navio científico de perfuração oceânica JOIDES, que colectou sedimentos do fundo do oceano com milhares de anos Adam Kurtz

As camadas de sedimentos no fundo dos oceanos têm sido vasculhadas em todo o mundo há mais de cinco décadas, através de expedições científicas de perfuração oceânica coordenadas pelo Programa Internacional para a Descoberta dos Oceanos (IODP) e pelos programas que o antecederam. Foi através da análise matemática de dados destes sedimentos e microfósseis que uma equipa internacional de investigadores, liderada pelo MARUM – Centro de Ciências Ambientais Marinhas da Universidade de Bremen, na Alemanha, estudou os padrões recorrentes do clima nos últimos 66 milhões de anos – desde o desaparecimento dos dinossauros.