Comentários no PÚBLICO com novas regras

Num momento em que assistimos à degradação do discurso nas redes sociais, queremos garantir que o PÚBLICO é um espaço de debate qualificado e cordial. E por isso decidimos actualizar o funcionamento e as regras da nossa comunidade.

reservado-publico,comunidade,redes-sociais,publico,media,tecnologia,
Foto
Nelson Garrido

Desde 2012 que os comentários no site do PÚBLICO são moderados em primeira instância pelos nossos leitores, que podem aprovar ou rejeitar contribuições, de acordo com as regras e critérios da comunidade. O sistema assenta numa hierarquia de leitores – “iniciantes”, “experientes”, “influentes” e “moderadores” – que traduz o historial e a qualidade da sua participação. Basta estar registado no site do PÚBLICO para poder comentar, e assim continuará a ser.

No entanto, o que foi inovador em 2012 (o PÚBLICO foi o primeiro jornal português a implementar um modelo de gestão de comentários centrado na comunidade) deixou de o ser em 2020. Apesar do contributo positivo da maioria dos nossos leitores, o modelo de automoderação da comunidade deixou de garantir por si só a qualidade dos comentários publicados e tornou-se fonte diária de conflito, degradando a experiência de leitura do PÚBLICO e obrigando à intervenção permanente da redacção. Tornou-se por isso indispensável uma actualização do funcionamento da comunidade e das suas regras.

A partir de segunda-feira, 21 de Setembro, será imposto um limite diário de dois comentários submetidos por leitores não-assinantes (ou seja, que são leitores registados no site mas que não têm assinatura activa do PÚBLICO), bem como um limite diário de três acções de moderação (rejeição e aprovação de comentários) aos moderadores não-assinantes (podendo no entanto ser feita a denúncia de comentários impróprios sem qualquer limitação). 

Os leitores assinantes do PÚBLICO (que estão registados no site e que têm uma assinatura activa do PÚBLICO) podem continuar a comentar e a moderar comentários sem restrições, salvo o cumprimento das regras, e de acordo com o seu nível na hierarquia da comunidade.

Desta forma, pretendemos garantir que quem participa na comunidade lê efectivamente os artigos do PÚBLICO, bem como reduzir a utilidade de contas “descartáveis” que visam publicar comentários impróprios, manipular discussões ou sabotar o próprio sistema de moderação da comunidade.

Ao mesmo tempo, actualizámos as regras da comunidade, que já podem ser consultadas na sua nova versão, de modo a sancionar comportamentos que não foram inicialmente previstos em 2012, como a conduta imprópria de alguns moderadores, e o PÚBLICO vai ter novas ferramentas para sancionar infracções. As sanções passam pela eliminação de comentários e a suspensão permanente de contas na comunidade, mesmo que sejam contas de leitores assinantes do PÚBLICO.

Num momento em que assistimos à degradação do discurso nas redes sociais, queremos garantir que o PÚBLICO é um espaço de debate qualificado e cordial. Contamos com o seu contributo. Participe: registe-se no site e comente.

Para mais esclarecimentos, consulte a nossa página de perguntas e respostas.

Sugerir correcção