Jamila Madeira, Susana Amador e José Apolinário de regresso ao Parlamento

O até agora secretário de Estado das Pescas terá uma passagem curta pela Assembleia da República, devendo ser eleito em Outubro presidente da CCDR-Algarve.

remodelacao-governamental,politica,antonio-costa,ministerio-educacao,ministerio-saude,governo,
Foto
Jamila Madeira à conversa com o primeiro-ministro depois da tomada de posse dos novos secretários de Estado LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

Um dia depois de deixarem o Governo, Jamila Madeira, Susana Amador e José Apolinário retomaram nesta sexta-feira os seus lugares na Assembleia da República, de onde saiu uma nova secretária de Estado, Marina Gonçalves.

O regresso e substituição dos deputados socialistas à Assembleia da República foi votada em plenário, com a aprovação de um parecer da comissão parlamentar de Ética e do Estatuto dos Deputados.

Jamila Madeira, que confessou estar “muito surpreendida” com a sua saída do Governo, deixou de ser secretária de Estado adjunta e da Saúde, sendo substituída por Diogo Serras Lopes.

Susana Amador invocou razões pessoais para abandonar as funções de secretária de Estado da Educação, cargo para o qual foi escolhida Inês Ramires. Já José Apolinário cessou funções no Governo como secretário de Estado das Pescas para se candidatar a presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve. Teresa Estêvão Pedro é agora o novo rosto da secretaria de Estado das Pescas do Governo de António Costa.

A até agora vice-presidente da bancada do PS Marina Gonçalves deixou a Assembleia da República para assumir a pasta da Habitação, em substituição de Ana Pinho.

Estas mudanças foram anunciadas na quarta-feira pelo Governo e os novos secretários de Estado tomaram posse no dia seguinte.

Diogo Serras Lopes passou a fazer parte da equipa do ministério de Marta Temido, como secretário de Estado da Saúde, lugar até agora ocupado por António Lacerda Sales, que subiu na hierarquia da equipa liderada pela ministra, assumindo as funções de secretário de Estado Adjunto e da Saúde, que eram exercidas por Jamila Madeira.

As mudanças no Ministério das Infraestruturas aconteceram apenas ao nível da secretaria de Estado da Habitação. Hugo Mendes juntou-se à equipa do ministro Pedro Nuno Santos como secretário de Estado adjunto e das Comunicações, funções que estavam atribuídas a Alberto Souto de Miranda. Os dois novos secretários de Estados são muitos próximos do ministro Pedro Nuno Santos de quem foram chefes de gabinete.

As mudanças feitas em quatro ministérios, no âmbito da remodelação que atingiu apenas secretários de Estado, constituem a segunda recomposição do XXII Governo Constitucional do segundo executivo minoritário chefiado por António Costa.

Sugerir correcção