Opinião

A vista não resolve a vida cinzenta do Bairro Amarelo

Por muito boa que a vista seja, os desafios dos residentes destes bairros são tão colossais que, provavelmente, nem reparam nela.

Inês de Medeiros, presidente da Câmara Municipal de Almada, num momento irrefletido de que certamente já se arrependeu, afirmou-se disposta a mudar para o Bairro Amarelo “amanhã” por ser apreciadora da vista. Veio entretanto explicar que a sua afirmação estava descontextualizada e que tem uma preocupação genuína pela situação dos bairros degradados de Almada. Não duvido. Mas a frase desmerece quem tem de (sobre)viver todos os dias em bairros como o Amarelo.